Justiça decide que Gol não precisa reembolsar despesa com 'home office'

Ex-funcionária trabalhou em regime home office de outubro de 2012 a março de 2017, na petição inicial a empregada relatava que foi obrigada a arcar com todos os custos, como manutenção do computador, energia elétrica, conexão à internet e telefone