Após decisão de STF, Maia defende negociação direta entre patrão e empregado para corte de jornada

Presidente da Câmara acredita que o ideal seria dar preferência por acordo coletivos, envolvendo sindicatos, mas permitindo a validade de negociações diretas com trabalhadores