Egídio Serpa: No Brasil, o crime compensa?