Cheiros, sons e obstáculos desenham rotina de cegos em Fortaleza

Das calçadas esburacadas que desequilibram o corpo ao aroma de pão quente que orienta o caminho, deficientes visuais se apropriam da cidade em busca de afirmação e autonomia; solidariedade do outro e acessibilidade são desafios