Apenas 10% das denúncias de assédio em ônibus têm identificação

Em oito meses do Botão Nina - aplicativo que visa coibir a prática de crimes de assédio sexual dentro do transporte coletivo -, ainda é baixo o número de vítimas que formalizaram as queixas criminalmente