Clubes querem manter atual modelo de administração do Castelão

Ceará, Ferroviário e Fortaleza não têm interesse em gestão compartilhada e preferem administrar a Arena apenas em dias de jogos, com lucro de bares, estacionamento e outros serviços. Estado banca custos mensais do aparelho