Egídio Serpa: Heróis cearenses da indústria têxtil

Houve uma época - não faz muito tempo - em que o Ceará era um dos líderes da indústria têxtil do País. Operavam aqui várias grandes fábricas de fiação e de tecelagem. Hoje, sobraram - na fiação - a Têxtil Bezerra de Menezes (TBM), comandada por Ivan Bezerra, que é a maior do setor, e a Têxtil União, de Mário Araripe, que tem também uma unidade industrial na cidade baiana de Valença. Na produção de tecidos, estão de pé e em plena operação a Vicunha e a Santana Têxtil. "Não sei como essas empresas, cujos donos são heróis, sobrevivem a tantas dificuldades, pois trazer matéria-prima de caminhão desde o Mato Grosso e o Sudoeste da Bahia até aqui e levar produto acabado para São Paulo e Santa Catarina custa muito caro" - diz, em tom de lamento, Germano Maia, do Sinditêxtil do Ceará, para quem "ou o Governo do Ceará aposta no setor têxtil, ou se despede dele". Germano conclui: "Tínhamos aqui 23 CNPJs de fiação, sem estarem conjugados com malharia ou tecelagem. Hoje, temos apenas dois". Na sua opinião, tudo tem a ver com o fim da cotonicultura cearense, abatida pelo bicudo. O esforço que se faz hoje, no Sertão Central, para a recuperá-la é louvável, mas tímida.

Algodão

Por falar em algodão: no Sudoeste do vizinho Piauí, já se cultiva algodão em uma área de 14 mil hectares, com produtividade de 4 mil quilos por hectare. A Embrapa Algodão, com sede em Campina Grande, desenvolveu cultivares próprios para o cerrado piauiense, em rotação com o cultivo de soja.

Risco

Festa na fintech cearense Fortbrasil: a Fitch Ratings, uma das maiores empresas mundiais de avaliação de risco, elevou sua nota de confiabilidade de crédito de BBB- para BBB+.

Leite

São altos os custos de produzir leite no Brasil - no Sul, no Sudeste e no Nordeste, com o Ceará incluído. Na Argentina e no Uruguai, esses custos são menores. E na Europa, menos ainda. Diante do acordo Mercosul-União Europeia, o Ministério da Agricultura brasileiro deve implementar logo políticas que ajudem os produtores a melhorar sua produtividade. Há dois anos - tempo necessário - para essas providências.

Depois de fechar em 2017 sua fábrica de calçados de Nova Cruz, no agreste do Rio Grande do Norte, com a demissão de três mil funcionários, a gigante Alpargatas decidiu cerrar também as portas de sua Megashop, uma grande loja no Shopping Via Direta, na capital potiguar. Alô, Paulo Guedes! Crescimento, já!

Uma multidão de 63 milhões de brasileiros está endividada. Ela tem uma só opção: comprar à vista. Este é, segundo economistas, o lado bom da inadimplência, pois educa o consumidor a só gastar o que pode. Pergunta, porém, o inadimplente: como faço para pagar a dívida que tenho? Resposta: por meio de acordo com o credor.