A educação dos “puxadinhos”


A Comissão de Educação da Câmara de Deputados aprovou requerimento de audiência pública visando a discutir a possibilidade de revogação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado por sete países e encabeçado pelo Brasil em 2006. O acordo, 13 anos depois de firmado, gera impacto na alfabetização brasileira e, segundo especialistas, uma eventual revogação causaria danos graves em relação ao Direito Internacional. Os deputados A.J. Albuquerque (PP), Moses Rodrigues (MDB) e Idilvan Alencar (PDT), como titulares, e Jaziel Pereira (PR) e José Guimarães (PT), em posições de suplência, representam o Ceará no colegiado. “A criança que não foi alfabetizada com trema, agora terá que aprender? Parece que não há uma construção na educação brasileira, são sempre ‘puxadinhos’. Se aprovado, o impacto será negativíssimo para a alfabetização, no que está relacionado à grafia”, diz o advogado, professor de Redação Jurídica e autor de livros didáticos Carlos André, nome indicado pela OAB Nacional para representar a entidade nas discussões que se realizaram no Senado e em outros países. “Seria lamentável”, observa.

O original
O Planalto sancionou projeto que cria a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e Suicídio. A proposta foi feita em 2018 pelo então deputado Osmar Terra, hoje ministro da Cidadania.

As cópias
Depois que Terra pôs o texto para tramitar, pipocaram em casas legislativas de todo o País clones que copiavam o projeto vírgula após vírgula, às vezes com pequenos adendos relativos aos contextos locais, sem fazer menção ao proponente original. Inclusive em Fortaleza.

Mão experiente
Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com dados de 2018, aponta que a população idosa representa 7,8% dos trabalhadores formais no País. É uma indicação significativa. Afinal, refere-se em geral a mão-de-obra qualificada, experiente e motivada. 

Algo já é muito
Há um pique no Tribunal. Só o Núcleo de Qualidade da Informação, composto por quatro servidores, baixou em definitivo 1.574 recursos apenas no mês de fevereiro. Mas, admita-se, há muito o que fazer.

Valor agregado
Especialistas observam que o investimento em profissional de faixas de idade mais avançadas pode agregar valor, conhecimento e diversificação ao ambiente corporativo.

PÍLULAS

A numerologia do Código da Cidade, que tramita na Câmara de Fortaleza, segue de vento em popa. Só o vereador Reginauro Souza (sem partido) apresentou quase 10% do volume de emendas encaminhadas à matéria. De 480 emendas, Reginauro assina 42. Uma delas é a de estender o projeto Praia Acessível a toda a orla da cidade.

Comunicado recebe contatos dos leitores pelos e-mails roberto.maciel@diariodonordeste.com.br  e  comunicado@diariodonordeste.com.br; pelo Whats App (85) 99638 5129 (só mensagens de texto); e pelo telefone (85) 3266 9784.