Reunião inédita

Um dos grupos mais influentes do heavy metal brasileiro no exterior, o Viper retoma a sua formação clássica para festejar os 25 anos do primeiro disco. Fortaleza hoje presenciará o encontro histórico

Sonho distante para fãs e possibilidade remota até para os próprios músicos, o universo conspirou a favor para o retorno do Viper aos palcos, embora que seja por uma curta temporada de shows, iniciada em julho e prevista para acabar em outubro. Curiosamente, somente hoje, 25 anos depois de lançar o estreante e já clássico "Soldiers of Sunrise", é que os cearenses terão a chance de conferir pela primeira vez a banda com a sua formação original. Parece inacreditável, né?

O Viper faz seu primeiro e último show em Fortaleza com a formação original. A turnê é comemorativa dos 25 anos do primeiro disco


André Matos, que fez parte do grupo nos dois primeiros álbuns (incluindo o elogiado "Theatre of Fate"-1989), também concorda com isso e promete compensar essa longa espera. "Naquela época, não fizemos nenhum show em Fortaleza. No Nordeste, só fizemos Recife. Mas voltar aí com o Viper, que foi a minha primeira banda, quando resolvi ser músico, vai ser especial. Sei que o pessoal tá muito curioso e sedento por esse encontro", afirma o cantor, reconhecendo ter um dos públicos mais cativos aqui, após passagens com o Angra, Shaman e a atual André Matos Band.

"Agradeço demais a lealdade dos cearenses. E não é de agora, são fãs que acompanham o meu trabalho desde o fim dos anos 80. Inclusive, uma das apresentações mais emocionantes aconteceu aí, há uns dois anos, quando a orquestra da Universidade Estadual do Ceará elaborou arranjos dos principais sucessos da minha carreira e depois tocou com a gente, a André Matos Band. Foi surreal tocar rock pesado na praia, acompanhado de uma orquestra, vendo o sol nascer e com o público em peso", diz.

Esse retorno pontual - e tão badalado - do Viper tem surpreendido os próprios integrantes, que só planejavam cair na estrada por apenas um mês. Para atender tantas solicitações de datas - em julho foram mais de 20 shows! -, o grupo resolveu dar uma esticada da turnê por setembro e outubro.

Turnê concorrida

Tamanha mobilização dos fãs do Viper se deve ao fato da "To Live Again - Brasil Tour 2012" apresentar na íntegra os dois primeiros álbuns, considerados os grandes clássicos. No entanto, o repertório reserva mais surpresas!

"O show é completo e longo! Haverá um intervalo entre os discos, em que um minidocumentário, com cerca de cinco minutos, será exibido, resgatando a história da banda. Na terceira parte, haverá ainda espaço para canções mais recentes, dos trabalhos em que não fiz parte como algumas do ´Evolution´ (1992), que foram compostas pelo Passarell pensando na minha voz antes de eu sair. É a primeira vez que estou cantando essas músicas", diz.

O futuro

André mostrou-se empolgado, destacando a sintonia com a nova reunião, que teve adesão de Pit Passarell (baixo e vocal), Felipe Machado (guitarra), Hugo Mariutti (guitarra) e Guilherme Martin (bateria). O guitarrista Yves Passarell só fez participação em alguns shows por conta da agenda do Capital Inicial. "A separação foi pacífica. Eu tava querendo me dedicar aos estudos da música e não ia conseguir conciliar as duas coisas. E me formei em regência e composição. Nós não deixamos de ser amigos", explica.

Se a experiência tem sido tão proveitosa, o que o impede de prosseguir com o grupo e, quiçá, gravar um registro de inéditas? "A química tem sido impressionante, agora entendo o porquê de certas formações de bandas darem tão certo. Mas o problema é que todos nós temos outras prioridades, estamos comprometidos com outros trabalhos. Fica inviável excursionar com o Viper", constata o frontman, que lança em breve "The Turn Of the Lights", novo trabalho da André Matos Band.

Mais informações

Viper

Show do grupo, hoje, a partir 20h, na Barraca Garota de Ipanema (Praia do Futuro). Ingressos: R$ 60 (2º lote). (85) 3253.3981

JULIANA COLARES
SUBEDITORA