Olhar sobre a performance

Mostras realizadas pelo Instituto Dragão do Mar mostram recorte da produção local nessa linguagem artística

Foto

Expressão de destaque na arte contemporânea, a performance sobressai-se em especial pelo seu potencial de diálogo com outras linguagens, tendo uma produção significativa no Ceará. Com o objetivo de apresentar o que vem sendo realizado por artistas do Estado, o Instituto Dragão do Mar organizou as Mostras Videografias Performativas e Entre PErformances - em cartaz a partir de hoje (2), respectivamente, na Multigaleria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC) e outros espaços do equipamento.

Reunindo sete videoperformances de artistas locais, Videografias Performativas segue até 19 de agosto, com visitação de terça a domingo. Paralelamente, a Mostra Entre Performances acontece nos dias 2, 3, 4, 10, 11 e 12 de agosto, com apresentações distribuídas ao longo dessas datas. Toda a programação é gratuita.

Seleção

As duas mostras estão na terceira edição e são compostas por projetos artísticos selecionados pelos Editais Culturais 2018/2019 do Instituto Dragão do Mar, integrando a Temporada de Arte Cearense (TAC). Videografias Performativas abre às 18h desta quinta (2). Às 19h, é a vez da Entre Performances iniciar com "Guttur", de Marta Aurélia e A Pessoa Bob, dentro da Multigaleria. Em seguida, às 19h30, Ari Areia, do Outro Grupo de Teatro apresenta "Expurgo".

agenda
A noite se encerra com show da banda A Fera Neném, às 20h, em frente à Multigaleria. O repertório faz um resgate histórico ideológico da cena disco, nas décadas de 1970 e 1980. A banda foi selecionada dentro do programa Dragão Instrumental, da TAC.

As videoperformances selecionadas para a mostra foram "Era", de KlangoPreá; "Economize", de Abu; "Pontos Terminais Emaranhados", de Ruy Cézar Campos; "Exumação", de Thales Luz e Diogo Braga; "Territorialidades", de Humano; "Água Preta", de Wellington Gadelha; e "Metendo a boca", de Ricardo Tabosa.

Uma das ramificações da videoarte - que eclode em uma fervilhante cena dos anos 1960 e hoje também inclui linguagens como a videoescultura, videopoema e videoinstalação - a videoperformance foi o caminho de artistas seminais, a partir do desenvolvimento da arte pop, do minimalismo e da arte conceitual, aliado ao barateamento e difusão das tecnologias de vídeo.

Já a Mostra Entre Performances inclui 12 trabalhos, apresentados mais de uma vez ao longo dos dias de programação, não apenas em espaços do CDMAC, mas de seu entorno e áreas próximas - como Praça dos Leões e Catedral da Sé, no Centro.