Matéria-1221307

Para conferir

Se 2012 deixou uma boa impressão quando o assunto é música, 2013 deve ser igualmente produtivo. A Sound faz algumas apostas de artistas que devem dar o que falar esse ano e outros que lançam novos trabalhos

Depois de duas semanas de recesso, a coluna Sound está de volta, em sua primeira edição do ano, com as promessas que devem agitar o mundo da música em 2013. A ideia não é apenas apontar alguns nomes da nova geração, que devem despontar de vez, mas também antecipar alguns lançamentos previstos de uma galera já respaldada, mas que andava relativamente sumida da mídia.

Dos novatos, a estilosa Rita Ora, de apenas 22 anos, é a aspirante à diva pop. Seguindo a velha e imbatível fórmula de sucesso (vozeirão+letra simples+produtor de "costas largas" = hit), a loura, nascida no Kosovo e naturalizada britânica, emplacou nas paradas "How We Do (Party)" e "R.I.P." (em parceria com o rapper Tinie Tempah), ambos de "Ora", disco de estreia disponibilizado em agosto.

Chegada numa festa e "vadiagem", a cantora britânica Rita Ora emplacou o sucesso "How We Do (Party)"

O que chama a atenção na carreira meteórica da contratada da gravadora Rock Nation (de Jay-Z), uma ilustre desconhecida até o fim do ano passado, é que de uma hora para outra a moça virou sensação do pop, musa fashion e atriz requisitada para trabalhos no cinema. Taí no que dá ter os contatos certos...

Solange Knowles: a irmã de Beyoncé tem estilo próprio

Diferente de Ora, Solange Knowles vem trilhando há algum tempo seu espaço na indústria e tem tentado, de forma digna, fazer um trabalho diferente, que não lembre o da irmã famosa, Beyoncé. E a cantora e atriz tem provado que a genética é mesmo um ponto forte da família. Além de bonita, canta bem e tem brilho próprio. Para se destacar, a caçula tem investido numa sonoridade mais retrô, bebendo nas fontes do soul, R & B e pop. Com uma interpretação mais suave, o single "Losing You" faz referência a uma Madonna do início de carreira. E isso é legal!

Retorno

Banda super querida no cenário alternativo, o Yeah Yeah Yeah volta a dar o ar da graça com novo álbum prometido para sair entre março e maio. Sem revelar maiores detalhes, o grupo da vocalista Karen comentou no Twitter que vem novidade boa por aí para o sucessor de "It´s Blitz" (2009). "Melhorias no DNA, evolução espontânea e um novo disco do Yeah Yeah Yeahs chegando na primavera de 2013!", dizia o post.

Após um hiato de quase quatro anos, o Yeah Yeah Yeahs promete disco para para sair entre março e maio

O Beck é outro que está voltando com tudo. O cantor e produtor prepara a divulgação de dois álbuns para esse ano.

"Tenho um disco que comecei em 2007. Deixei-o de lado por muito tempo, mas recentemente tenho trabalhado em algumas das canções", revelou o americano ao site NME. "Já aviso que é um trabalho bem diferente de tudo que fiz".

O cantor e produtor Beck garante dois álbuns esse ano

E tem mais... Beck comentou ainda sobre registro gravado em 2010, em Nashville... "Estou pensando em terminar esse álbum também. Têm algumas coisas muito legais e tenho certeza que meus fãs vão gostar". Eita, que é material inédito!

Rock brazuca!

A gente já falou na coluna dos meninos da Black Drawing Chalks, quando a banda venceu enquete do site da revista inglesa Classic Rock Magazine ao levar o título de "melhor música da semana".

Grupo goiano Black Drawing Chalks foi citado por revista inglesa em lista dos 15 artistas ou bandas que devem conquistar o público em 2013

Vale reforçar o convite para ouvir os goianos, principalmente, agora após serem citados de novo em edição da publicação homônima, que listou os 15 grupos ou artistas que devem fazer barulho em 2013. O CD "No Dust Stuck On You", do ano passado, entrou no ranking.

Parabéns, Camaleão!

Em março, museu londrino recebe exposição temática sobre a carreira de Bowie

Um dos artistas mais icônicos do rock, David Bowie completa hoje 66 anos. Afastado dos palcos desde 2004, após sofrer um infarto em pleno show na Alemanha, o cantor continua sem dar indícios de querer retomar à música. O trauma foi grande, embora tardio para uma vida de excessos e, desde então, pouco se tem ouvido falar no "White Thin Duke". Até o seu site oficial está fora do ar para "manutenção". Por enquanto, atualizações somente em seu perfil oficial no Facebook. As últimas notícias que davam do britânico faziam referência a uma retrospectiva da sua carreira em uma exposição, a ser aberta em 23 de março, no Victoria and Albert, de Londres. Apesar de contar com 300 objetos do seu acervo pessoal, fez questão de ressaltar que não teve participação na mostra.

Amenidades em relação à sua vida pessoal também têm pautado a mídia. Dia desses, foi revelado seu prato preferido em café italiano, que Bowie costuma almoçar uma vez por semana, em Manhattan, bairro onde mora com a esposa Iman e a filha Alexandria. Ficou curioso?

Pois é o sanduíche de presunto do Bottega Falai, que ele sempre pede. Quem estiver de passagem em Nova York e é fã de carteirinha, já pode ir agendando uma visitinha ao lugar. Outra parada obrigatória para os "stalkers" é a livraria McNally´s Jackson, que fica também nas redondezas, outro espaço que costuma bater cartão.

Ano passado, que marcou o 40º aniversário de lançamento do lendário disco "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972)", tentaram trazê-lo de volta aos holofotes para participação nas festas dos Jogos Olímpicos de Londres. Não rolou. O homem é mesmo duro na queda!

Por onde anda?

Ninguém sabe o que Bowie anda fazendo nesse período recluso, o que não quer dizer que esteja necessariamente aposentado, como andam falando por aí. O currículo do músico é vasto: além de cantor e compositor, foi produtor, parceiro de vários outros astros, ator e artista plástico. A gente duvida que ele tenha estado ocioso esse tempo todo e, se fosse para chutar alguma opção, apostaria na última ou sei lá... Como prever o "rebel, rebel"? Com quase 50 anos de carreira, Bowie fez jus à persona de Camaleão do Rock, apelido que caiu como uma luva por nunca se prender a estilos, sons e personagens (como esquecer do excêntrico alienígena ruivo que veio salvar a Terra com o seu "Rock n´ roll suicide"? Sempre ousado e à frente do tempo, o cantor não dosou na versatilidade, dava a sua cara à tapa, o tempo todo se reinventando, em alguns momentos agradando, chocando ou descontentando seus seguidores... A coragem é mesmo para poucos! Embora tenha saído de cena, vale parabenizá-lo por sua contribuição dada à música. Ele merece!