Matéria-1132517

Carly Rae Jepsen é a nova sensação do pop. Com apoio de Justin Bieber, a cantora emplacou vários hits
Carly Rae Jepsen é a nova sensação do pop. Com apoio de Justin Bieber, a cantora emplacou vários hits

O sucesso dos quase famosos

Artistas pouco conhecidos desbancam astros consolidados em vendas de singles no Reino Unido e nos Estados Unidos. Eles vieram para ficar ou é uma onda passageira?

O fenômeno não é muito comum, mas a indústria da música tem dessas coisas. Quando menos se espera, astros consagrados precisam dividir os holofotes com "novos talentos". E é o que se tem observado nas últimas semanas: os novatos vêm desbancando nomes de peso como Madonna e Coldplay. Carly Rae Jepsen, Gotye, One Direction e Fun ocuparam os primeiros lugares em vendas de singles no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Mas não se engane. Fora algumas exceções, músicos realmente autênticos, não tem muita novidade vindo por aí não. A maioria desses estreantes é produto do "mainstream" e segue fórmulas previsíveis, "garantias" de sucesso. Resta saber se eles sobreviverão aos 15 minutos de fama... Enquanto isso, a gente apresenta os "protagonistas" em questão.

Carly Rae Jepsen é a nova sensação do pop, apesar de pouca gente ter ouvido falar... Isso até daqui uns dias! Seguindo o modelo de Katy Perry, Rihanna, Ke$ha e da conterrânea Avril Lavigne, a canadense já está virando figurinha carimbada na TV, na web e nas rádios. Talvez você já tenha já flagrado "Call Me Maybe" na academia, na loja de shopping ou na balada. Pois o hit pasteurizado ocupa há três semanas o topo das paradas britânicas. Divulgando "Curiosity", segundo disco da carreira e que saiu pela mesma gravadora do "padrinho" Justin Bieber, a moça, de 26 anos, quer conquistar o público com canções de apelo teen.

Boybands

Falando nos fãs adolescentes, One Direction e The Wanted vêm ressuscitar e provar que o desgastado gênero boy band ainda é bastante rentável. O primeiro, revelado pelo "X Factor" (uma versão do "American Idol"), conquistou o feito de ser o primeiro grupo britânico a emplacar álbum de estreia, no caso "Up All Night", na lista dos mais vendidos nos Estados Unidos, segundo a revista Billboard. Nem os Beatles conseguiram esse feito. Claro que isso não mede mérito nenhum, talvez só o poder de alcance da internet e do dinheiro que foi investido nessa molecada .

Indies

Na contramão do pop, os indies também mostram a sua força. Nascido na Bélgica, mas criado na Austrália, Gotye (pronuncia-se "gotiê"!) alcançou a incrível marca de 187 milhões de visualizações (até o fechamento da edição!) com "Somebody That I Used To Know", clipe que contou com participação da cantora neo-zelandesa Kimbra.

Com um estilo mais conceitual e uma voz que lembra Peter Gabriel, Sting e Phil Collins, o rapaz é uma das boas surpresas desse cenário. De olho no sucesso iminente do cara, a Universal Music lançou no Brasil o último disco de estúdio, "Making Mirrors", em formatos digital e físico.

Confira mais conteúdo exclusivo



Outra revelação são os nova iorquinhos da Fun, dona do título de primeira banda de rock em mais de dez anos a mandar o seu primeiro sucesso para o número um da parada da Billboard (a última a atingir recorde como esse foi Nickelback com "How You Remind Me", de 2002). Formado em 2008, o trio foi descoberto com o simpático "We Are Young", hit com participação de Janelle Monáe, e parece ter um trabalho promissor.

Tá bem na fita!

Jack White

Ex-vocalista do White Stripes, o cantor tem se dado bem em sua estreia solo com "Blunderbuss". O álbum do multi instrumentista tirou "21", de Adele, do topo do ranking dos discos mais vendidos do Reino Unido. Lana Del Rey e Nicki Minaj ficaram, respectivamente, com o terceiro e quarto lugares da lista, enquanto o novo CD de Rufus Wainwright, "Out of the Game", ficou com a quinta posição.

Björk fora do Sónar

Anunciada como uma das grandes atrações do Sónar - o Festival Internacional de Música Avançada e New Media Art, Björk cancelou sua participação no evento (dias 11 e 12 de maio, em São Paulo), por recomendação médica, após apresentar nódulos inflamados nas cordas vocais. Se a islandesa parecia insubstituível, os organizadores conseguiram surpreender, mesmo que às pressas, com um triunfo à altura: o grupo alemão Kraftwerk, considerado um dos precursores da música eletrônica, traz show 3D, que promete entrar para a história. Além dos caras, Cee Lo Green e Justice são destaques. http://www.sonarsaopaulo.com.br

Ensaio musical

Imagina artistas da nova geração encarnando capas de clássicos álbuns da MPB? Homenageando Rita Lee, Mallu Magalhães posa como a diva ruiva no lendário "Fruto Proibido" (1975). Já o rapper Criolo ataca de Cartola em "Verde que te Quero Rosa" (1977). Andreia Dias, Luisa Maita e Mariana Aydar reproduzem "Secos & Molhados" (1973). No ensaio, da revista Serafina, tem mais. Tá curioso? Acessa http://ow.ly/aBaF2

Cover de Carly Simon!

Que Marilyn Manson gosta de chocar, isso não é novidade. Sua nova empreitada foi numa releitura roqueira e sombria de "You´re so Vain", clássico mulherzinha da Carly Simon. A versão faz parte de "Born Villain", seu novo disco, e ainda contou com participação do ator Johnny Depp como guitarrista convidado! Ouça aqui: http://ow.ly/aBaV5

Dreammusic: Para cortar caminhos

Quem é artista autoral sabe bem da dificuldade que é para tornar sua música conhecida entre os diversos públicos. E, todo mundo já sabe, que não dá mais para depender exclusivamente do espaço dado pelas mídias tradicionais (rádio, jornal e televisão). A internet com o seu mundo de possibilidades se tornou o grande abrigo para a grande demanda de músicos independentes e curiosos de plantão (esses os fãs em potencial).

Além das redes sociais e dos canais de veiculação de vídeos e canções, essa galera tem contado com uma gama cada vez maior e diferenciada de plataformas virtuais de divulgação. Em fevereiro, a Sound falou do Melody Box (www.melodybox.com.br), portal em que atua como uma espécie de vitrine do trabalho de novos artistas e bandas. Novamente, o assunto retorna à pauta da coluna, agora, com o lançamento da Dreamusic (dreamusic.com.br), outra ferramenta que promete somar esforços nesse intuito.

O Dreammusic é um serviço online pago que permite que o trabalho dessa categoria seja avaliada por especialistas através de resenhas que poderão ser elaboradas por músicos conhecidos, produtores, críticos, jornalistas, técnicos de som e até stylists ligados ao segmento, entre outros profissionais. A proposta do site, que funciona como uma consultoria, se propõe a ser uma espécie de ponte para esses artistas e o mercado.

Para contratar a avaliação, o artista estreante precisa fazer um cadastro, enviar sua música, optar por um plano de pagamento (as taxas variam entre R$ 50,00 a R$ 500,00) e selecionar qual o consultor ficará a cargo de resenhar o seu som. O review é realizado em vídeo, com o profissional analisando o trabalho e apontando os itens que devem ser melhorados. O "cliente" opta por publicá-lo ou não.

No quadro de especialistas do Dreamusic há nomes conhecidos do meio musical como, por exemplo, o baterista Japinha (CPM 22), guitarrista Marcão (Charlie Brown Jr.), o baixista Felipe Andreoli (Angra e Almah), o vocalista Paulão (Velhas Virgens), o guitarrista de blues Nuno Mindelis, o baterista André Dea (Sugar Kane) e o guitarrista Antônio Araújo (Korzus).

De acordo com Andreoli, a plataforma digital ajudará o artista a "cortar caminhos". "Olhando para trás, me lembro do quão trabalhoso foi lapidar o meu trabalho, cometendo os mesmos erros que as bandas com menos experiência geralmente cometem. Hoje, como profissional, vejo como pode ser fácil ajudar uma banda a cortar esse caminho, indo direto aos pontos-chave e ganhando tempo para o que realmente importa", explica o baixista, integrante deste júri de especialistas.