Matéria-1085567

Artistas mais marcantes

Pertinho de acabar, 2011 foi um ano produtivo na música. A Sound destaca os artistas que mais bombaram

Sem dúvida, a artista mais comentada do ano foi Adele, de 23 anos. Assim como Amy Winehouse, a inglesa passou de objeto de culto indie para diva mainstream com "21". Porque sofrer de amor é um tema universal, não é vero?Foi com o segundo disco que a cantora atingiu todos os tipos de públicos, tendo sido nomeada em várias premiações. Tornou-se trilha sonora de novelas ("Morde e Assopra" e "Fina Estampa") e ganhou até homenagem no forró. Alguém aí já escutou a agonizante "Rolling In The Deep" na versão forró eletrônico? Trash!

Mas, falando sério, a garota-prodígio conquistou vários feitos. "21" foi o álbum mais vendido do século no Reino Unido, segundo a Official Charts Company. O disco, que vendeu 3,4 milhões de cópias, foi lançado em janeiro deste ano e superou "Back To Black", de Amy Winehouse, que havia conquistado a marca 3,3 milhões em cinco anos (impulsionada também pela sua morte).

A alta popularidade de Adele ultrapassa fronteiras. "21" foi ainda o álbum mais vendido no mundo todo. Apesar da moça ter dado uma pausa nos shows, recuperando-se de cirurgia nas cordas vocais, seu presente de Natal chegou mais cedo. Com seis indicações, entre as principais categorias, é a favorita ao Grammy 2012.

No Brasil, não é diferente! Na estreia do iTunes por aqui, a artista liderou o ranking das músicas mais compradas, desbancando Michel Teló e Roberto Carlos!

Herança musical

Influência confessa de Adele, Amy Winehouse foi a maior perda da música em 2011. Morta precocemente aos 27 anos, a estrela britânica ganhou álbum póstumo, 12 faixas de inéditas e versões de standards (tem até "Garota de Ipanema"!).

Lançado no início de dezembro, "Lioness: Hidden Treasures" se tornou um sucesso de vendas. Assinado por Salaam Remi e Mark Ronson, os produtores preferidos dela, o trabalho alcançou o topo das paradas entre os discos mais vendidos do Reino Unido.

Uma cinebiografia sobre Amy também está a caminho, apesar de toda a controvérsia em torno da produção. É que chegou-se a cogitar Reg Traviss (o último namorado) para diretor e Lady Gaga para o papel principal, mas seu pai Mitchell Winehouse teria vetado as duas opções, proibindo inclusive a autorização para o uso das músicas.

Polêmica à parte, o falecimento da cantora causou grande comoção no Brasil. No Facebook, foi o terceiro tópico mais comentado entre os brasileiros, tendo apenas perdido para UFC e Vasco. No mundo, ela aparece em sétimo lugar na lista.

Rock

O Foo Fighters também fez muito barulho e desconfio que tenha sido o grupo mais atuante em ações diferenciadas. Só em 2011, o quinteto liderado por Dave Grohl lançou o inédito "Wasting Light", o disco de covers "Medium Rare" (com clássicos do Pink Floyd, Ramones e Prince) e o bem-sucedido documentário "Back and Forth" (sobre os 16 anos de estrada) nos cinemas.

Para a nossa alegria, a banda - indicada a cinco Grammys - foi confirmada como headliner do Lollapalooza Brasil, após meses de especulação. Vale ressaltar que grande parte da expectativa e mobilização geradas em torno do festival, agendado para abril, é justamente por causa da vinda dos caras, após 10 anos de sua última apresentação.

No Brasil, quem chamou a atenção mesmo foram os artistas da nova geração, menos conhecidos do grande público (por enquanto), mas que têm contribuído para a renovação da MPB. Esse fenômeno não é de agora. Dessa turma aí fazem parte Maria Gadú, Céu e Roberta Sá (para citar alguns nomes). No entanto, outros cantores ganharam maior visibilidade.

Depois de fazer parceria com "todo mundo" (compôs para Vanessa da Mata, Milton Nascimento, Leonardo, Marcelo Camelo, etc) e de fazer parte de bandas de apoio (Arnaldo Antunes e Chico César), Marcelo Jeneci encontrou sua luz própria neste ano com o seu primeiro disco solo, o "Feito para acabar". É desse trabalho "Felicidade", faixa que virou hit.

Revelações

Tulipa Ruiz é outra que não está de passagem, apesar de seu álbum de estreia se chamar "Efêmera". Vencedora do Prêmio Multishow na categoria de Melhor Cantora (júri técnico), a paulista tem feito uma bela carreira em solos nacional e internacional. Já fez shows na Europa e, em agosto, se apresentou em Nova York com direito a tietagem de David Byrne (produtor conceituado e ex-vocalista do Talking Heads). #mematadeorgulho!

Confira clipes dos destaques musicais de 2011




Outro que também se destacou foi Criolo. No último VMB, da MTV, o rapper paulista foi o mais premiado da cerimônia, tendo levado as estatuetas de Melhor Música ("Não Existe Amor em SP"), Revelação e Disco do ano ("Nó na Orelha")!

O hip hop também mostrou a sua força com Emicida, que levou para casa os títulos de Artista do Ano e Clipe do Ano ("Então Toma").

O poder do sertanejo

Sem entrar na questão de mérito e gosto pessoal, 2011 foi também o ano dos sertanejos. Paula Fernandes foi a cantora que mais vendeu discos no Brasil, superando Luan Santana e Ivete Sangalo. Em Portugal, a mineira também liderou ranking. Por causa do sucesso de "Pássaro de fogo", a nova musa do gênero foi ao Grammy Latino, indicada nas categorias Revelação e Melhor Álbum Sertanejo (mas não levou nada!) e também emplacou, há poucos dias, parceria em uma canção com a americana Taylor Swift, a cantora mais premiada do ano. O dueto estreia em 2012, nos próximos álbuns de inéditas das duas estrelas.

Sortudo

Michel Teló nasceu virado pra lua! Esse aí, famoso pelo hit "Fugidinha", agora tem "Ai se eu te pego" (também composta pelo pagodeiro Thiaguinho) tocada na Espanha e até na Grécia! Culpa de quem? Do Cristiano Ronaldo, jogador do Real Madri que comemorou gol fazendo dancinha alusiva ao hit.

Nova queridinha da MPB

Com "Efêmera", Tulipa Ruiz foi premiada, pelo júri técnico, melhor cantora do Prêmio Multishow. Em show em Nova York, David Byrne rasgou seda para a moça!