Matéria-1049076

Homeopáticas

A) Seria muito bom para todos, principalmente para alunos e pais de alunos, que a greve dos professores do Estado terminasse. Aliás, melhor ainda se não existisse motivo para acontecer. B) Até hoje não descobriram maneira mais justa e eficiente de se pôr fim a uma greve do que a realização de conversas francas e abertas entre as partes, tendo ou não um mediador. É maneira sensata e bastante eficaz.

Homeopáticas 2

c) Entanto, conversar é expor as próprias ideias e também escutar as propostas da outra parte, para que os dois lados, de forma equili- brada, cheguem a um acordo.

Homeopáticas 3

d) impor as vontades como fez o governador Cid Gomes, que convocou os professores para uma conversa e na hora disse apenas que tudo será do jeito que ele quer ou então o governo irá tomar as providências punitivas cabíveis. Isso nem pode ser chamado de negociação, estando mais para o "diálogo" do pescoço com a guilhotina. Ceder é papel das duas partes.

Lances & relances

a) O pau quebrou ontem na Assembleia, sarrafo muito em professores que se manifestavam pedindo um grande absur- do: o cumprimento da lei do piso nacional da categoria, deci- dida pela mais alta Corte do País. B) Ora, o que se poderia es- perar de um ex-Poder que virou braço (forte) do Executivo?

Leitorado

O governo federal nunca tem dinheiro para atender as reivindicações das categorias em greve, problema que não existe quando é para reajustar os subsídios de parlamentares, ministros e presidente da República, que receberam 65% de reajuste no começo do ano. (Ayres Bonfim - Salvador, BA)

"Dinheiro é igual a táxi: quando você mais precisa dele, ele não aparece, e, quando aparece, alguém já o pegou primeiro"
Marcelo Madureira
humorista

Boca no mundo

Do Icaraí, Roberto Rivelino Cardoso: "Marquei consulta com um endocrinologista, para 13h30. Inocente, cheguei na hora e a atendente me informou que o médico atrasaria meia-hora. Foram 40 minutos. Na minha frente, duas outras vítimas. Resultado: saí da clínica às 16h30. A quem apelar"

Besteira muita

1 - "Vou para os braços de Morfeu." 2 - "Fala, perigoso? Na minha casa você morre de sede." 3 - "Estou vendendo pelo preço que comprei."

4 - "A loja aniversaria, mas você ganha o presente."

Picles

1 - No Havaí, todas as sandá- lias são havaianas. 2 - Mulher grávida reclama de barriga cheia. 3 - As fitas são virgens porque o gravador é estéreo. 4 - Ser canhoto é fácil, difícil é ser direito. (Popular)

SOBREMESA

Conta o jornalista e escritor Inácio Almeida. "Na última vez que encontrei o jornalista Edmundo de Castro (Dedé) ele estava com os dedos cheios de anéis e os braços coalhados de pulseiras. Perguntei-lhe se era ele agora o próprio Capitão Virgulino redivivo". - Não, Inácio, não. Isto é para eu me lembrar que a imbecilidade existe, que os imbecis hoje são em maior número do que ontem.

"Dedé de Castro fez discursos inflamados na época da guer- ra contra os nazistas. Dizia que ia queimar o bigode de Hitler com uma lamparina, não realizando proeza de tal vulto por não ter encontrado nenhuma lamparina disponível. Era a crise"...

"Mesmo sendo o mais extremado dos esquerdistas, Dedé de Castro não combate o Capital. Não, para ele o cerne do problema está localizado em outro lugar, e explica": - O Capital não tem culpa nenhuma. A desgraça de tudo é o trabalho. Imagina o Capital sem o trabalho? Como poderia ele gerar riquezas? O culpado de toda a injustiça social que existe é o trabalho. Sem, ele teríamos uma sociedade igualitária, sem privilégios.

NENO CAVALCANTE