Casos e canções de Fausto Nilo

FAUSTO NILO: histórias e canções em palestra musical
FAUSTO NILO: histórias e canções em palestra musical André Lima

O compositor e arquiteto cearense Fausto Nilo é o convidado de hoje do programa de debates “Nomes do Nordeste”, mantido desde dezembro último pelo Centro Cultural Banco do Nordeste, a partir de 19h. Acompanhado pelo violão afiado de Tarcísio Sardinha, o compositor ilustrará a palestra cantando algumas de suas canções que caminham para se tornar clássicos da MPB. De quebra, composições de outros autores, que marcaram a infância do menino de Quixeramobim, quando levadas ao ar pela radiadora da cidade. Pedaços de memórias musicais.

Quanto a seu processo criativo, Fausto Nilo se descreve como adepto do surrealismo e da “ensemblage”, a junção de elementos que, se soam díspares isoladamente, produzem novas sensações e imagens quando reunidos. Desde os tempos da faculdade de Arquitetura na UFC e do mítico Bar do Anísio, Fausto teve contato com alguns dos maiores nomes da canção cearense a partir da década de 70, integrando a primeira geração do chamado “Pessoal do Ceará”. Gente como Fagner, Belchior, Rodger Rogério, Téti, Ednardo e Petrúcio Maia, entre outros.

Desde 1996, o compositor se lançou também como cantor, dando voz às próprias criações. A estréia como intérprete veio com o CD “Esquinas do Deserto”, em que optou por uma panorâmica sobre o conjunto de sua obra. Em 2002, veio o segundo solo, o auto-referencial “Casa Tudo Azul”, produção independente em que o arquiteto das palavras adotou outra proposta, revisitando cantos esquecidos de seu baú de canções.

O bate-papo de logo mais terá a condução do ator e dramaturgo Ricardo Guilherme, a partir de pré-entrevista realizada pelo jornalista Luciano Sá. O público presente também poderá dirigir perguntas ao compositor. A organização promete registrar a íntegra da entrevista, em áudio e vídeo, para posterior exibição no próprio Centro Cultural. Por enquanto, para quem comparecer, a certeza de um bom programa. Histórias contadas e cantadas.

Dalwton Moura - Da Editoria do Caderno 3