Projeto Amigos na Rua ajuda pessoas em situação de rua durante período de pandemia

A iniciativa chega a atender cerca de 80 pessoas em cada dia de ação, depois de quatro meses de pandemia

Legenda: A ação acontece uma vez por semana, em pelo menos duas praças do Centro de Fortaleza, onde se encontra uma grande parte de pessoas em situação vulnerável.
Foto: Arquivo Pessoal/ Gabriel Rodrigues

Ajudar ao próximo, principalmente aquele que mais precisa, tem se tornado uma forma de sentir-se bem consigo mesmo durante esse período de pandemia de novo coronavírus, onde todos parecem estar tão mais distantes fisicamente e onde se instaurou uma forte rede de solidariedade. Foi com o pensamento de ajudar quem mais precisa que surgiu o projeto “Amigos Na Rua”, que promove ações de doação de refeições para pessoas em situação de rua desde o início da quarentena.

Inspirado pela tia, que promoveu uma ação de solidariedade por conta própria, Gabriel Rodrigues, estudante universitário de 24 anos, viu ali a oportunidade de fazer o que sempre teve vontade, mas não tinha a iniciativa. “Eu tinha o intuito de fazer um dia isso, mas não tinha colocado em prático e quando ela me mandou [imagens da ação] me tocou muito. E eu pensei em ajudá-la e pedi pessoas próximas ajuda, para ir fazer essas ações, e assim nasceu o projeto Amigos na Rua. E eu nunca imaginei que ia movimentar tantas pessoas”, conta Gabriel.

O projeto que teve início em meados de abril, ajuda cerca de 80 pessoas em situação de rua por ação, que ocorrem geralmente nas quartas ou quintas-feiras, uma vez por semana. O intuito do projeto de distribuir café da manhã para quem não tem acesso a essa refeição. “A gente varia as alimentações [por semana] entre bolos e sucos, pão com presunto e café com leite, cuscuz com ovo, salsicha e café e em outra semana é caldo de carne”, detalha o universitário. 

“Antes de fazer qualquer coisa [sobre o projeto] nós demos uma pesquisada, e vimos que outros projetos vão aos finais de semana e a noite, então a gente resolveu fazer o café da manhã, porque a gente não ver tanta variedade disso. Não tem pra que disputar local de ajuda, então nos encaixamos durante a semana mesmo. O quanto der pra gente ir, nessa pandemia, a gente tá indo”, destaca.   

Os “Amigos Na Rua” que hoje tem 9 voluntários fixos para as ações, também trabalham distribuindo roupas e kit higiênico, em semanas variadas, e fazendo distribuição de máscaras semanalmente. “Diariamente, no começo da pandemia, ajudávamos entre 100 ou 120 pessoas nas praças que a gente ia, porque não tinha ninguém nas ruas e muitos sobrevivem dessa movimentação, mas agora o número está baixando mais um pouco, com 80 ou 90 pessoas”, aponta sobre a realidade do trabalho nas ruas do Centro de Fortaleza.

Solidariedade

O estudante de Engenharia Civil, geralmente acorda 4h30 para começar a preparar as refeições que serão distribuídas às 7h, com a ajuda da sogra e do noivo, mas mesmo acordando tão cedo o único sentimento que fica é o de promover uma rede de solidariedade. “Já é super válido ajudar qualquer pessoa, em situação de rua ou não, mas agora nessa pandemia as pessoas estão se mobilizando mais. Pra mim é muito gratificante fazer com que as pessoas se mobilizem também”, pontua.

“Às vezes as pessoas têm esse pensamento [solidário], sabe que precisam [fazer algo], mas não tem iniciativa. Então essas pessoas que me ajudam hoje tinham esse mesmo pensamento, mas não tinham colocado em prática. Então eu vejo que consigo ajudar tanto as pessoas que estão necessitando, quanto às pessoas que querem fazer isso”, explica.

Arrecadação  

A iniciativa arrecada alimentos indo até a casa de quem está disposto a doar. “Pelo instagram, a gente divulga o dia que eu vou pegar as arrecadações, que geral é na segunda, terça ou sexta-feira. Quem estiver disposto a doar, avisa, e eu vou de casa em casa pegar”, detalha o idealizador do projeto. 

Além disso, o projeto, também está com uma campanha de arrecadação de fundos por meio do site Abacashi - que promove arrecadação online - onde todo o dinheiro arrecadado será convertido em refeições e kits de higiene para a população vulnerável.        

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores