Pfizer anuncia possibilidade de vacina contra a Covid-19 ainda em 2020

Gigante farmacêutica tem compromisso de fornecer40 milhões de doses ao governo dos EUA até o final deste ano

Legenda: Pfizer espera solicitar autorização de uso emergencial para sua vacina da Covid-19 na terceira semana de novembro
Foto: AFP

Os executivos da Pfizer expressaram otimismo nesta terça-feira (27) sobre a perspectiva de fornecer uma vacina contra o novo coronavírus ainda em 2020, em meio às declarações da gigante farmacêutica sobre lucros mais baixos no terceiro trimestre a partir da redução da demanda por medicamentos. 

O presidente-executivo da Pfizer, Albert Bourla, disse que a gigante dos medicamentos poderia fornecer cerca de 40 milhões de doses nos Estados Unidos este ano se os testes clínicos prosseguissem conforme o esperado e os reguladores aprovassem uma vacina. 

"Se tudo correr bem, estaremos prontos para distribuir um número inicial de doses", afirmou Bourla, que mencionou um contrato do governo americano com a Pfizer para fornecer 40 milhões de doses até o final deste ano e 100 milhões de doses até março de 2021. 

No entanto, Bourla ressaltou que a empresa ainda não atingiu os principais parâmetros de referência na avaliação da eficácia da vacina. A Pfizer havia declarado anteriormente que poderia ter os dados em outubro. 

O CEO disse que a empresa espera solicitar autorização de uso emergencial para sua vacina da Covid-19 na terceira semana de novembro, quase de acordo com os cronogramas anteriores. 

Questionado se estava "certo" de que a vacina funcionaria, Bourla afirmou: "Não estou otimista de que a vacina funcionará. Estou cautelosamente otimista de que a vacina funcionará". 

Com relação ao lucro, a Pfizer relatou uma queda de 71% no lucro, para US$ 2,2 bilhões. 

As receitas caíram 4%, para US$ 12,1 bilhões.  A Pfizer estimou um impacto de receita de US$ 500 milhões relacionado à Covid-19, diante de uma menor demanda farmacêutica da China e menos visitas a pacientes nos EUA. 

A empresa viu uma queda de 11% em seus negócios hospitalares nos mercados emergentes, principalmente devido a menos cirurgias eletivas na China e menor tempo de internação hospitalar no país. 

Este efeito foi parcialmente compensado pelo aumento da demanda pela vacina Prevnar-13 para pneumonia "resultante de uma maior conscientização sobre a vacina para doenças respiratórias", anunciou a empresa. 

A Pfizer também citou um forte desempenho em seus negócios biofarmacêuticos devido às boas vendas do medicamento contra o câncer Ibrance, o anticoagulante Eliquis e outros medicamentos. 

As ações subiram 0,1% para US$ 37,97 nas negociações desta tarde. 

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores