Clínica de terapia integrativa oferta atendimentos a preço popular e doa lucros a instituições

O dinheiro foi arrecadado por meio de serviço com preço reduzido oferecido durante a pandemia

Legenda: O dinheiro doado ao Projeto Auê do Amor foi convertido em alimentos, sendo possível distribuir 1.521 refeições a pessoas em situação de vulnerabilidade.
Foto: Divulgação/ Projeto Auê do Amor

Apesar da queda no número de casos confirmados diariamente e óbitos pelo novo coronavírus, a pandemia não acabou e as correntes de solidariedade, fortificadas por ela, também não. A Clínica Mundo Akar arrecadou mais de R$ 15 mil, prestando serviços de terapia integrativa a baixo custo para a população durante o periodo pandêmico. Assim, a unidade doou todo a verba a instituições que têm ajudado pessoas em situação de vulnerabilidade.

A clínica de Terapias Integrativas e Complementares (TICS), por meio do projeto Mundo Akar Social, que já existe há quatro anos, ofereceu à população a oportunidade de apoio psicológico com preços reduzidos e gratuitamente, durante a pandemia. “O Mundo Akar Social é uma iniciativa que busca dar afeto e promover várias práticas que geram o bem-estar”, explica Cynthia Brito, gerente comercial da clinica. 

“Quando surgiu a pandemia, a gente teve primeiro aquele momento de susto, como todo mundo, e depois percebemos que voltar às atividades do Mundo Akar Social online seria bom tanto para gente como para os terapeutas, que poderiam retomar as suas atividades, e também para as pessoas, que precisavam cada vez mais desse apoio”, aponta Cynthia. 

Entre os meses de abril e setembro, oferecendo serviços custando R$ 30, terapias de grupo gratuitas e com profissionais voluntários de várias partes do País, a clínica arrecadou R$ 15.800. O dinheiro foi doado a três instituições carentes: a Unidade de Longa Permanência para Idosos Lar Três Marias, onde foi transformado em 55 kits de higiene pessoal; o Projeto Auê do Amor, para o qual a doação transformou-se em 1.521 refeições para pessoas em situação de vulnerabilidade social e para o Projeto Pensando Bem, que converteu em kits de higiene destribuidos em algumas comunidades de Fortaleza. 

Quanto à escolha das instituições beneficiadas, a gerente destaca que a credibilidade das iniciativas foi o que possibilitou essa corrente de solidariedade. “A gente deixou para eles a liberdade de dizer qual a melhor forma de transformar aquele valor. Para chegar até essas instituições, a gente fez uma busca sobre quais projetos estavam conseguindo chegar até a população, então buscamos quem tinha credibilidade e estava realizando um bom trabalho, precisavamos de alguem para o contato com a população”, relata.

Suporte psicológico

A ação não ajudou apenas as instituições carentes, mas também aqueles que precisavam de apoio psicológico durante o momento de crise, e que conseguiram isso por causa das consultas a preço social. Esse é o caso da administradora de empresas, Liliane Azevedo, de 36 anos. “As terapias me trouxeram a calmaria, me ensinaram a dar os primeiros passos, as primeiras respirações e voltar a sorrir, integrando e curando o que nem conhecia em mim”, relembra a administradora, a quem as terapias online ajudaram no tratamento para Síndrome do Pânico e Depressão.  

Legenda: Registro de uma das reuniões online com terapeutas voluntários que realizaram os atendimentos durante a pandemia
Foto: Arquivo Pessoal/ Clinica Mundo Akar

Para a gerente da clínica, a lição que fica é de sempre fazer o bem. “Fazer o bem, só nos faz bem. Porque o trabalho, dentro do projeto, beneficiou todos esses profissionais voluntários. Porque quando a gente se viu útil, a gente viu a essência do nosso trabalho. Ajudar o outro é muito precioso, porque realmente conseguimos fazer uma corrente do bem”, conclui Cynthia Brito.     
   
   

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores