Ação de 'marmitaço' beneficia famílias de Fortaleza no sábado (17)

Parceria entre a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco e cozinhas comunitárias, distribuiu cerca de mil marmitas em 10 bairros da capital cearense

Monitores, professoras e voluntárias levam alimentação saudável para diferentes áreas da cidade
Legenda: Monitores, professoras e voluntárias levam alimentação saudável para diferentes áreas da cidade
Foto: Fernanda Ayres

Um sábado marcado pela partilha e solidariedade. Comunidades carentes de Fortaleza foram ajudadas com a entrega de marmitas. O "marmitaço" foi promovido pela Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, em parceria com 10 cozinhas comunitárias. Moradores dos bairros Vicente Pinzón, Castelo Encantado, Titanzinho, Praia do Futuro, Papicu, Castelão, Tancredo Neves e Centro estarão entre os beneficiados.

Cerca de mil marmitas foram entregues. A iniciativa faz parte da campanha nacional  “Gente é pra brilhar, não pra morrer de fome”. O nome da ação é inspirado na música "Gente", de Caetano Veloso. Além de oferecer comida saudável, o intuito é lembrar a sociedade do Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro). 

No bairro Vicente Pinzón, pela manhã, uma fila se formou à espera da refeição. A preparação dos alimentos começou na sexta-feira (16) e contou com uma força tarefa, formada por professores da Escola e voluntários. Para o presidente da Associação União de Jovens do Vicente Pinzon, Márcio Lima, este apoio é fundamental.

"A ONG fica dentro da comunidade de praia. São pessoas que dependem da venda dos peixes, das barracas, dependem da venda de coco. Nesse momento difícil da pandemia, eles tem passado por mais dificuldades", descreve.

A coordenadora pedagógica da Escola, Damaris Barros, detalha como funcionou a organização. "Monitores e professores da instituição, além de voluntários, estarão liderando a produção das quentinhas e passando orientações de boas práticas e manipulação de alimentos para as cozinheiras de cada local", aponta.

Dia especial

Francisca Maria foi uma das moradoras do Vicente Pinzón atendidas com o "marmitaço". Ela considera a ajuda valiosa, porém, alerta que a população do bairro precisa de mais apoios como esse. "Devia ser mais. É ainda pouco à comunidade do Serviluz. Todos nós somos carentes e precisamos", defende. 

Francisca estava acompanhada da neta e descreve o sábado de solidariedade como especial. Conhecedora da realidade local, ela pontua que falta não só o básico, como a comida. Outras ações de cidadania seriam fundamentais no bairro.

"Além de alimentação, seria bom cursos para crianças e para os jovens. Tem, mas é pouco. A população é grande", reivindica.
  

Até domingo (18), uma série de conferências virtuais e distribuição de alimentos acontecem em diferentes cidades do Brasil. A ideia é articular setores, discutir a complexidade do modelo produtivo atual e potencializar sistemas agroalimentares contemporâneos, a partir do debate e da sistematização de agendas em âmbito nacional.

O cenário é complicado. Porém, um ato solidário como esse permite um pouco de alegria para inúmeros cearenses, argumenta Márcio Lima. "Como a situação dos alimentos está caríssima, momento de bastante dificuldade, hoje é alegria para estas famílias terem esse almoço. Até o cardápio foi pensado especialmente na comunidade", descreve o entrevistado. 

Gente que Inspira

Conhece histórias de pessoas que inspiram? Compartilha com a gente!

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores

Assuntos Relacionados