Clínica-escola

Tratamento psicológico é transformador

23:44 · 11.03.2013
Serviço de Psicologia Aplicada, em parceria com o SUS, atende cerca de 400 pessoas por semestre

Do diálogo, expõem-se situações de tormento e angústia, fazendo do ato um importante aliado para aliviar sofrimentos e, até mesmo, encontrar soluções aos conflitos. É por meio dessa técnica, fundamentada em diferentes abordagens, que atua o Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) do Núcleo de Atenção Médica Integrada (Nami) da Universidade de Fortaleza (Unifor).

Terapias em grupo ou individual buscam solucionar transtornos pessoais FOTO: LUCAS DE MENEZES


O projeto surgiu em 1988, ano de fundação do curso de Psicologia da instituição, devido à necessidade de disponibilizar a prática aos acadêmicos. Cada aluno da graduação (a partir do oitavo semestre), uma média de 400 por período, fica responsável pelo atendimento de um ou dois pacientes.

Desde agosto de 2012 no projeto, a estudante de Psicologia e membro da equipe do SPA, Ana Bento, afirma que a oportunidade de conhecer a prática é essencial para sua formação. "Implica no desenvolvimento ético-profissional e pessoal dos estudantes, já que se está ali por escolha, havendo, portanto, investimento e compromisso não apenas com a clínica e a instituição, mas com as pessoas que buscam os serviços da clínica-escola".

Atualmente, o SPA atende de 300 e 400 pessoas por semestre, abrangendo todas as faixas etárias. Cada paciente, avaliado por uma equipe encarregada da triagem, é encaminhado a diferentes terapias de acordo com o caso clínico apresentado. Os atendimentos são realizados em formas individual, em grupo, familiar ou de casal.

Segundo a psicóloga Murielle Ferreira, responsável técnica do SPA, a iniciativa trabalha com diferentes abordagens da Psicologia (Gestalt terapia, Psicanálise, Abordagem Centrada na Pessoa (ACP), Psicodrama, Comportamental, entre outras), determinadas conforme o interesse de cada acadêmico. "A grande vantagem da clínica-escola é o fato de os estudantes do curso serem os responsáveis pelo atendimento. Eles escolhem a abordagem que lhes interessa e são acompanhados pelo professor orientador, a quem cabe conduzir o estudo e auxiliá-los na assistência aos pacientes".

Com Ana Bento foi assim, ela optou como referência a Abordagem Centrada na Pessoa, inserida numa perspectiva humanista e fenomenológica. "A orientação semanal é necessária, pois vai além do estudo de caso. É o momento de supervisão do professor sobre o andamento do processo psicoterapêutico, e de observar a relação do estagiário com o paciente", completa.

Solução de conflitos

Caso da estudante de Pedagogia, Adriana Dutra, que há dois anos está na terapia individual por meio do SPA. Ela relembra que antes de iniciar o atendimento psicológico, dirigia-se às emergências de postos de saúde a cada dois dias em decorrência dos sintomas de pressão alta. No entanto, os motivos não eram apenas físicos, mas psicológicos.

"Tinha perdido meu pai, então, tive que começar a trabalhar e a viver socialmente. Mas era muito difícil para mim porque sempre fui muito tímida. Não conseguia pedir informações a um desconhecido ou até mesmo olhar para alguém que chegasse perto de mim. Tudo isso estava atingindo minha pressão, que começou a aumentar de repente e vinha junto com uma angústia muito forte", relembra.

Conforme Adriana, o tratamento foi transformador. "Queria me expandir, me comunicar e consegui. Hoje, estou lhe dando entrevista. Cada vez mais, encontro força e vontade para viver". Ela afirma ser muito grata aos psicólogos, dos quais percebe sempre ter atenção e total liberdade para falar dos seus conflitos. E aconselha: "Acho que todo mundo deveria fazer terapia para se conhecer melhor e, com isso, entender também o outro. Assim, a vida seria mais fácil e haveria mais harmonia entre as pessoas".

Consultas e marcações

Para ser assistido pela clínica-escola, é necessário procurar o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) mais próximo. Em parceria com o Nami, o Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da Coordenação de Saúde Mental de Fortaleza, distribui as vagas que surgem nos Caps, dependendo da demanda e da procura. As ocorrências psiquiátricas permanecem com os Caps, enquanto os casos de psicoterapia são direcionados à clínica.

Um dos principais pontos positivos do SPA é o suporte a pessoas que só podem desfrutar desse serviço por meio do auxílio gratuito da clínica. "Oferecemos à rede algo que os pacientes não têm acesso, uma vez que particular é muito caro e o SUS apresentava vagas limitadas. Se não estivéssemos aqui, essas pessoas não teriam oportunidade de receber um apoio psicológico", explica Murielle Ferreira.

Além disso, os pacientes se tornam agentes multiplicadores, já que passam a desconstruir mitos e a colaborar no entendimento dos benefícios da terapia aos indivíduos.

Os atendimentos diários acontecem das 8 às 21 horas, mas o SPA também possui um plantão psicológico. O serviço emergencial possui turnos específicos na semana e atendido cerca de 25 pessoas por dia. Com intensa procura, o plantão oferece ao paciente o direito a quatro retornos. Quando o caso não é solucionado, o paciente é encaminhado para o atendimento continuado.

FIQUE POR DENTRO

A coletividade que desvenda as boas soluções

Um dos serviços propostos na clínica-escola do Nami é a terapia em grupo, realizada a partir de uma abordagem sistêmica. Todos os públicos são trabalhados por meio dessa perspectiva que nasce para compartilhar um conflito específico.

De acordo com a responsável técnica do SPA, há grupos de diversas naturezas: com adolescentes, que relatam seus principais conflitos; outro com mulheres que sofrem por amor; mães que passam a compreender a dificuldade de aprendizagem de seus filhos, em paralelo aos seus próprios desafios; pessoas que simplesmente contam o que lhe atormentam.

"É uma forma de trazer na terapia um espaço para conhecer experiências, identificar no outro problemas semelhantes, e compartilhar o sofrimento com outras pessoas que o vivenciam", ressalta Murielle.

Mais informações

Serviço de Psicologia Aplicada
Rua Desembargador Floriano Benevides, 221- Bairro Edson Queiroz
De 2ª a 6ª feira - 8 às 21h e sábados - 8 às 11h
Telefone: (85) 3477.3644

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.