Cuidar

Terapias que purificam

00:00 · 29.12.2013
O novo ano reflete renovação e expectativas. Daí, as terapias complementares, como uma "faxina interior", tornam-se formas naturais de cuidado consigo mesmo

Final de ano é como um ritual de passagem marcado por confraternizações e encontros familiares. Há quem precise purificar as energias, a mente e o corpo, transformando os fracassos do ano findo em aprendizado e o próximo ano em possibilidades.

FOTO: JOSÉ LEOMAR

Afinal, renovar-se para começar o novo ano é o que fazemos simbolicamente por meio de festas, fogos de artifício e pulos das sete ondas. É nesse momento que as terapias complementares são alternativas eficientes para proporcionar o que o indivíduo necessita.

Segundo a massoterapeuta com formação holística Aldeíde Barreto, que desde 1985 desenvolve trabalhos na área e coordena o espaço terapêutico na Pousada Oca dos Índios (localizada na Praia do Morro Branco, Beberibe), são realizados nove tipos de terapias com esta finalidade: desintoxicação com argila, malva e corama; limpeza e energização da pele; banho de ofurô; massagem terapêutica do pajé e com pedras quentes; hidratação natural da pele, além de reik e shiatsu. Todas com um mesmo objetivo: proporcionar uma faxina interior, em que são eliminadas toxinas, radicais livres, parasitas e células danificadas em até 15 centímetros de profundidade. Além disso, melhora o sistema respiratório, alivia dores e estimula a circulação.

Limpeza

O tratamento de desintoxicação é realizado com o uso das argilas verde e branca, que devem ser puras e higiênicas. Sua preparação é feita junto às ervas malva e corama que potencializam os efeitos da argila. "A substância tem muitas indicações, mas o principal é sua ação anti-inflamatória, cicatrizante e relaxante, já que suga as impurezas do organismo e repõe os minerais".

O procedimento ocorre da seguinte maneira: aplica-se a argila em todo o corpo com ênfase nas regiões onde há dor, como nas articulações, no fígado, entre outros. A aplicação se dá com massagem e manobras de deslizamento e alisamento. A substância atua no corpo por cerca de 40 minutos a 1 hora. "A argila age como uma drenagem linfática natural, daí ser aplicada de forma lenta e sem muita pressão. É comum urinar bastante após o tratamento, porque é um expurgo, uma espécie de desintoxicação", descreve Aldeíde Barreto.

VICKY NÓBREGA
ESPECIAL PARA O VIDA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.