Osteoporose

Por ossos mais firmes e fortes

03:48 · 16.10.2011
Recomendação: 400ml de leite para crianças até 10 anos; 700ml para adolescentes; 600ml para adultos e idosos
Recomendação: 400ml de leite para crianças até 10 anos; 700ml para adolescentes; 600ml para adultos e idosos ( Arquivo )

Ingestão de laticínios desde a infância é indicada para o fortalecer o tecido ósseo

“Firme e forte” é o tema da campanha que a Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica (SBDENS) realiza até dezembro, em parceria com a Sociedade Brasileira de Osteoporose e a Sociedade Brasileira para o Estudo do Metabolismo Ósseo. Segundo o Ministério da Saúde, a doença atinge mais de 10 milhões de brasileiros, numa proporção de uma para cada três mulheres com o diagnóstico de osteoporose.

A doença é associada aos níveis de estrógeno no organismo, hormônio feminino que equilibra a multiplicação de várias células, a exemplo das ósseas (principal responsável pelas mudanças sofridas pela mulher na puberdade). O organismo masculino também é dotado de estrógeno, mas em menor quantidade.

Assim como outros órgãos - como a pele e o coração - os ossos são tecidos vivos que passam por constantes renovações das células. O portador de osteoporose tem esse processo interrompido, o que causa a deterioração do tecido ósseo.

Prevenção desde cedo

O cálcio e a vitamina D são os maiores aliados na prevenção. Dai ser essencial que ainda na infância aconteça a ingestão desses nutrientes. Os laticínios (leite, queijo e iogurte) são as principais fontes das substâncias, mas também podem ser encontradas no suco de laranja, em frutas, vegetais, grãos, soja e peixes (salmão e sardinha).

Além do cálcio, porém, os vegetais também possuem uma substância chamada fitato, que impede a absorção total desse nutriente pelo organismo. Por conta disso, não é aconselhável tentar compensar a pouca ingestão de leite e dos seus derivados ingerindo maior quantidade de verduras, já que o aproveitamento do cálcio é reduzido.

O Ministério da Saúde recomenda o consumo diário de 400 ml de leite para crianças (até 10 anos), 700 ml (adolescentes de 11 a 19 anos), e 600 ml (adultos e idosos). “A doença tem início na infância, mas normalmente só se manifesta após os 40 anos. Assim, é preciso conscientizar a população sobre como prevenir e quais os cuidados desde o início da vida”, diz Bruno Muzzi, presidente da SBDENS.

Como na menopausa ocorre a diminuição na produção de estrógeno, as mulheres nessa etapa da vida precisam ter um cuidado redobrado nos hábitos alimentares a fim de reduzir os riscos de sofrer osteoporose.

Outros elementos que podem favorecer o aparecimento da doença, independente do sexo e da idade, são o histórico familiar, a baixa ingestão de cálcio, o diabetes, o sedentarismo, além do consumo excessivo de café, álcool e cigarros.

Tratamento

O exame mais solicitado para fechar o diagnóstico da osteoporose é a densitometria óssea, que avalia a consistência do osso.

É recomendado que mulheres na menopausa façam o exame de densitometria a cada dois anos, bem como homens com mais de 70 anos e demais pessoas com mais de 50 anos (que já tenham um histórico de fraturas).
O tratamento é realizado aliando-se os medicamentos com a prática de atividades físicas, assim como uma alimentação balanceada. Os exercícios podem ajudar a fortalecer os músculos que sustentam os ossos mais fracos, mas devem sempre passar por uma orientação.

Para evitar a doença e manter os ossos sempre saudáveis, além das atividades físicas e da ingestão de alimentos com cálcio, é importante seguir outras recomendações como tomar 15 minutos de sol diariamente, sem o uso de filtro solar, antes das 10h, ou depois das 16h, quando a luz solar não é prejudicial à pele. Também deve evitar o excesso de álcool e cigarro, vícios que interferem no processo de renovação das células ósseas.

Para auxiliar no esclarescimento sobre a doença, a campanha Firme Forte dizponibiliza o site ww.sejafirmeforte.com.br, com dicas para prevenir a doença. Também conta com pequenos questionários para verificar se o indivíduo consome as quantidades adequadas de cálcio e vitamina D.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.