DANÇA-TERAPIA

Pela livre expressão do movimento

23:41 · 21.05.2011
( )
Os movimentos da Arte-terapia são livres e possibilitam a expressão de sentimentos e emoções adormecidas
Os movimentos da Arte-terapia são livres e possibilitam a expressão de sentimentos e emoções adormecidas ( Foto: arquivo )
O MOVIMENTO TERAPÊUTICO AJUDA NA PERCEPÇÃO DO PRÓPRIO CORPO E NA RELAÇÃO COM O OUTRO

Movimentar o corpo, aprendendo a noção de espaço, tempo, peso e fluxo é uma forma de terapia expressiva que tem a dança como potencial criativo, de autoconhecimento e percepção do outro. Segundo o psiquiatra e arte-terapeuta, Raimundo Severo Jr., "quando mediado de forma a favorecer à liberdade de expressão, esse trabalho pode trazer boas repercussões para a vida, desenvolvendo no indivíduo uma capacidade criativa da própria vida".

Diferentemente do movimento cujo principal objetivo é o de exercitar e fortalecer o corpo, o movimento terapêutico tem uma linguagem mais específica e visa o fortalecimento da relação do corpo com a mente. Na dança-terapia, conforme explica Raimundo Severo, a expressão acontece livremente. Não há passos complexos. "É muito mais uma pesquisa de movimento corporal do que o aprendizado de uma técnica de dança, pois isso muitas vezes inibe as pessoas por trazer a ansiedade de desempenho. É um trabalho de improvisação e de contato com o ambiente e com o outro".

Consciência corporal

Com o Grupo de Dança-terapia que se reúne semanalmente, Raimundo Severo desenvolve um trabalho que, de acordo com ele, durante muitos anos era visto com interesse apenas por pessoas que tinham um estilo de vida mais alternativo. Com o aumento da consciência sobre a importância tanto do auto-cuidado quanto do cuidado com o outro, isso, aos poucos, tem mudado.

Foi ao participar do grupo que o arte-terapeuta Vanderlan Costa de Souza descobriu uma forma de mudar o seu trabalho e a própria relação com o corpo. Relata que a experiência tem sido essencial para a troca de experiências, envolvimento e para se abrir mais e confiar no outro.

Corpo-mente-movimento são estudados por diversas áreas do conhecimento, e, hoje, a neurociência tem comprovado que terapias como essa são sérias e exercem uma ação importante na saúde como um todo. "O corpo é o palco onde acontecem todas as emoções", relata a enfermeira e psicomotricista, Valéria Maria de Castro Paço.

Participante do Curso de formação "O corpo em movimento no contexto terapêutico" ministrado por Raimundo Severo no Instituto Aquilae, ela usa os conhecimentos que adquiriu em seus pacientes, aplicando técnicas de educação somática, relaxamento e equilíbrio. "Essa experiência me mostrou uma nova forma de ver o corpo, trabalhando a consciência através do movimento. Não há certo nem errado. Tudo é uma descoberta", afirma.

Linguagem do corpo

No consultório, Valéria tem comprovado diariamente a mudança em seus pacientes. "Respiram melhor, reduzem as tensões, reajustam o corpo. A prática é muito prazerosa, pois ficam livres para executar os movimentos. Não usamos nem mesmo espelhos durante as práticas", informa.

Um dos aspectos ressaltados na execução de movimentos com fins terapêuticos é o fato de se aprender a lidar com o próprio peso, pois, "somente a partir daí encontramos a leveza que procuramos. Não se força o corpo, você o convida", diz a enfermeira.

Ao "convidar" o corpo para essa tarefa de autoconhecimento, é possível desenvolver um método terapêutico capaz de trabalhar corpo e mente, usando, para isso, a linguagem da dança.

Segundo Severo, o movimento, dentro da relação que se estabelece entre o cérebro e o corpo, pode ser entendido de várias formas. "A mais tradicional é a de que tudo que vivemos fica marcado no corpo sob forma de tensões musculares, postura e restrição de movimentos expressivos. A dança pode ajudar a desconstruir esses padrões cristalizados que dificultam a expressão das emoções e sentimentos".

Por outro lado, a terapêutica do movimento pode ser entendida, incluindo nisso a educação somática, área composta de vários métodos para a ampliação da consciência corporal.

Outra vertente é a teoria filosófica que trabalha sobre o conceito de metáfora. Com a ideia de que ela é essencial para o funcionamento da mente, "a ampliação da subjetividade, a mudança de percepção sobre si mesmo, sobre a relação com o mundo e com as outras pessoas é modificada quando você amplia a sua bagagem de experiências corporais expressivas", explica Raimundo Severo.

É a partir desse trabalho com o movimento, com o corpo e com a dança que é possível ampliar essa forma de expressão em todos os sentidos.

Fique por dentro
Dança-terapia

Discussões filosóficas sobre o corpo e a contemporaneidade são base para o desenvolvimento de um método terapêutico e pedagógico que articula princípios de educação somática, dança contemporânea e Gestalt-Terapia. Denominada Corpo Awareness, a prática foi desenvolvida pelo psiquiatra e psicoterapeuta cearense Raimundo Severo Jr.

Dentro desse conceito, surgiu a ideia da formação de um grupo - o Grupo de Dança-terapia - no qual o Corpo Awareness proporciona autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Promove mudanças na autoimagem, na relação com o próprio corpo, com o outro, na capacidade de comunicação, na reorganização de tensões musculares e na respiração. Pode atuar também como terapêutica complementar para quadros de ansiedade, depressão, transtornos alimentares, sintomas psicossomáticos e manifestações do estresse.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.