PERSPECTIVA

O valor de quem cuida

20:07 · 07.05.2011
( )
Da esquerda para direita, Graça, Lucy, Iana e Isabel, se inspiraram na mãe, Oda, no ato de amar e cuidar do ser
Da esquerda para direita, Graça, Lucy, Iana e Isabel, se inspiraram na mãe, Oda, no ato de amar e cuidar do ser ( Foto: Thiago Gaspar )
Função de cuidar começa a ser revista e revalorizada pelas grandes demandas sociais de mudança, não se restringindo só as mulheres

Da esquerda para direita, Graça, Lucy, Iana e Isabel, se inspiraram na mãe, Oda, no ato de amar e cuidar do ser Foto:
Uma reflexão do cuidado permeia o tão celebrado dia das mães. As mulheres, ainda muito comprometidas com a função materna, encontram-se mais sobrecarregadas do que nunca. E o que, de fato, tem pesado tanto neste papel de mãe que ainda não pôde ser liberado?Algumas mulheres hoje assumem com categoria o prazer de cuidar, como o clã das irmãs Lopes: Lucy, Isabel, Graça e Iana. Esta "tropa de elite" atravessou desafios ao ver desde cedo a mãe, dona Oda Lopes, dar conta praticamente sozinha de 12 filhos e com um desejo intenso de ofertar uma contribuição maior do que o mero preparo de seres íntegros para o social.

Inspirada na mãe, a quem dedicou em sua clínica (Espaço de Renascer) um jardim especial com rosas, a psicóloga Lucy Lopes já há alguns anos, conduz inúmeros grupos na a Arte de Cuidar. Para ela, o princípio desta arte é o cuidador começar o cuidado consigo, a fim de compartilhar seu rico aprendizado com os demais. Com isso, concordam as irmãs, nunca haverá peso para ninguém, nem ressentimento. Então, o cuidar mostra a sua verdadeira face de prazer, já que o ato simples pode se colocar como em sua essência de amor.


ROSE MARY BEZERRA
REDATORA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.