Reflexologia

O pé e suas ligações aos pontos corporais

00:11 · 13.08.2013
Terminações nervosas, estímulos e músculos se comunicam de forma eficaz por meio da reflexologia podal

O corpo é unidade. Nele, mãos, orelhas e pés interligam o todo por meio da comunicação de terminações nervosas e músculos. Por isso, essas áreas levam o nome de zonas reflexas na Reflexoterapia, técnica que se utiliza desse aspecto para tratar pessoas com as mais diversas disfunções.

A pressão na área correspondente ao órgão afetado libera impulsos elétricos ao cérebro, alterando a dinâmica de funcionamento do órgão Foto: Helosa Araújo

Segundo a naturóloga pela Universidade Anhembi Morumbi, Emanuela Honorato (com formação em reflexologia, calatonia, auriculoterapia chinesa e shiatsu, integrante da equipe do espaço Ar+Zen), a técnica trabalha com o princípio de pressão, a qual libera impulsos elétricos ao cérebro, interagindo com a área correspondente ao órgão afetado. O cérebro, por sua vez, envia um estímulo de resposta ao órgão alterando a dinâmica de funcionamento.

"As ramificações nervosas derivadas dos nervos espinhais e cranianos estão ligadas às zonas reflexas, que podem detectar e tratar alterações em órgãos ou partes do corpo", afirma Marcelo Viana, terapeuta holístico especializado em Medicina Tradicional Chinesa que atua em técnicas como shiatsu, reflexologia podal, auriculoterapia, ventosas, moxa, massagem relaxante, diretor-proprietário do espaço Natural Toque.

Dessas terapias holísticas, a que se utiliza especialmente do pé chama-se Reflexologia Podal. Originada pela Medicina Tradicional Chinesa, defende que a energia que possuímos deve ser movimentada, caso contrário, sua estagnação provocaria doenças. Por isso, é utilizada como ferramenta terapêutica para promover a saúde e o bem-estar do individuo por meio do toque.

É por intermédio do toque e da pressão que os objetivos da reflexologia podal são alcançados. Emanuela Honorato afirma que estudos defendem que o organismo está sempre em busca da homeostase (equilíbrio), fator que torna benéfica qualquer forma de estímulo, já que ele vai saber usá-lo corretamente. Outros constatam que a intensidade da pressão realizada pode ocasionar sedação ou tonificação.

Marcelo Viana complementa que estimulando os pontos é possível tonificar o que está sedado e sedar o que está sobrecarregado. "Na reflexologia podal, o corpo físico, emocional e mental é tratado por inteiro, buscando desenvolver o equilíbrio necessário para a cura das funções orgânicas e emocionais do paciente". Enfatiza que, na busca pelo bem-estar, deve-se estar atento às necessidades básicas do organismo: sono, relaxamento, nutrição adequada, exercício físico e lazer.

Alívio e benefícios

Dos pés, diversos sistemas e órgãos em desequilíbrio são tratados por meio de estímulos externos gerando respostas internas como aumento da circulação sanguínea, da sensibilidade e da coordenação motora. "A reflexologia podal é adequada para aliviar dores e sintomas originados de fibromialgia, lombalgia, ciatalgia, espasmos musculares, Alzheimer, estresse, insônia, disfunção na articulação temporomandibular (ATM), sudorese, ansiedade, constipação, esclerose lateral amiotrófica (ELA), síndrome do pânico, entre outras", diz Marcelo Viana.

Emanuela Honorato explica que, a partir da pressão dos pontos, ocorre estímulos elétricos que geram a produção de endorfina e serotonina, substâncias que induzem o relaxamento, reduzem a dor e promovem o bem-estar. "O objetivo da reflexologia não é o diagnóstico, mas conforme as sensações que a pessoa apresenta em determinadas áreas dos pés é possível identificar qual órgão ou estrutura do organismo está comprometida ou possui alguma disfunção. Ou seja, a técnica não cura, apenas facilita a recuperação", ressalta. O papel do terapeuta é potencializar a capacidade de cura inerente ao organismo, utilizando a reflexologia como uma ferramenta.

Por esse motivo, antes de cada atendimento, é realizada uma anamnese com o paciente, com a qual é observado também o estado emocional. Assim, assegura se não há nenhuma contraindicação e doenças pré-existentes como trombose, fraturas ou lesões, varizes expostas, pacientes cardíacos com marca-passo, dermatites e infecções agudas. Não é indicado para grávidas até 3 meses.

Além disso, nos casos em que está sendo feito algum tratamento, o médico precisa ser informado e a medicação jamais pode ser suspensa por conta própria. A partir daí, formula-se a conduta cuja periodicidade varia conforme cada caso. Geralmente, a recomendação é que a terapia seja realizada uma vez na semana.

Personalidade pelo pé

A anatomia dos pés (geralmente diferente para cada indivíduo) representa algum indicativo sobre a personalidade.

Dedos separados simbolizam pessoas que têm uma vida mais independente da família, que não se envolvem em questões familiares e não permitem a intromissão dos familiares em seus problemas.

Dedinhos juntos representam pessoas que se envolvem intensamente nas questões familiares a ponto de desejarem resolver os problemas de todos que estão próximos.

Dedos curtos, apesar de ser uma característica genética, quem apresenta essa característica costuma ter pavio curto e não guardam mágoas. Já dedos longos, aspectos também genéticos, podem estar relacionados a pessoas que guardam seus sentimentos e acumulam rancores.

Dedos apontando para cima (longe do chão) é característico de indivíduos sonhadores, com muitos projetos para o futuro e dificuldade de concentração. Dedos harmoniosos (dispostos em uma linha diagonal perfeita), geralmente, pertencem a pessoas com facilidade em se expressar e ouvir os outros. E, por fim, aqueles retraídos, que possuem formato de garra, pertencem a pessoas manipuladoras.

VICKY NÓBREGA
ESPECIAL PARA O VIDA

FRASES

O objetivo da técnica não é o diagnóstico, mas sim potencializar a capacidade de cura inerente ao organismo

Emanuela Honorato
Naturóloga

A reflexologia podal trata físico, emocional e mental por inteiro, buscando o equilíbrio para a cura dessa funções do paciente

Marcelo Viana
Terapeuta holístico

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.