Entrevista com Lucia Endriukaite

O ovo reúne 12% das necessidades diárias

00:16 · 17.09.2013
O consumo diário de ovo eleva o colesterol bom e reduz o peso. Coma sem culpa, mas com moderação

Quais benefícios o ovo (de galinha) promove à saúde?

Um ovo possui 6 gramas de proteína e proporciona 12% das necessidades diárias. Portanto, é um alimento fonte de proteína e pode ajudar no aumento da massa magra em pessoas que praticam exercício físico. O alimento tem um mix de nutrientes que participa das reações químicas que acontecem no organismo colaborando com inúmeros processos, e pode contribuir para um melhor estado nutricional. Possui um composto de gorduras saturadas (3,1g - 37,4%) e um mix de gorduras monoinsaturadas (3,8g - 46%) e poli-insaturadas(1,4g - 16,5%) que representam 62,5% de gorduras boas. Também contém vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) e hidrossolúveis (tiamina, riboflavina, niacina, colina, ácido fólico, vitamina B12, biotina), carotenóides (luteína e zeaxantina), além de minerais como ferro, zinco, selênio. Vitamina A: antioxidante, está intimamente relacionada ao zinco e cálcio, essencial para a visão, sistema imunológico, pele e saúde óssea. Vitamina D: responsável pela saúde óssea. Vários estudos científicos relacionam a deficiência de vitamina D a doenças autoimunes e diabetes. Vitamina E: tem ação antioxidante. Zinco, selênio, magnésio são minerais antioxidantes importantes para o organismo. Além disso, um ovo possui 70 calorias, promovendo saciedade e, assim, contribuindo para a perda de peso.

A nutricionista Lucia Endriukaite, coordenadora técnica do Instituto Ovos Brasil na área de nutrição humana, afirma que não há hormônios no ovo e que a meta do instituto é atingir o consumo de no mínimo de 4 ovos/ semana no Brasil FOTO: DIVULGAÇÃO

Qual a diferença entre o ovo de galinha de granja, caipira e orgânico?

A diferença entre os diversos tipos existentes no mercado está no manejo da galinha poedeira. O que difere a galinha convencional das demais, é que a convencional fica em gaiolas, enquanto as outras possuem uma área para circulação. Tanto a galinha convencional como a caipira apresentam o mesmo tipo de ração. A galinha orgânica necessariamente precisa receber uma alimentação/ração orgânica para ter a certificação. De uma forma geral, não existem diferenças nutricionais entre os três tipos de ovos, exceto pela presença de uma maior quantidade de carotenóides que são adicionados à ração da galinha tipo caipira e que proporciona uma coloração mais acentuada à gema deste ovo.

Qual o mais tipo saudável, o ovo de galinha ou o ovo de codorna? Por quê?

Cinco ovos de codorna equivalem a aproximadamente a 1 ovo de galinha. São fontes alimentares de proteína com alguma variação na composição, mas que não os coloca em posição de mais ou menos saudáveis em relação ao outro. A alimentação do brasileiro é de forma geral hiperprotéica e o ovo de codorna não é visto como um alimento que substitui a carne. Assim, o ovo de codorna está mais relacionado a petisco ou para uso em saladas.

Qual quantidade semanal recomendada? Por quê? Se ultrapassado esse valor, pode ser prejudicial à saúde?

Estudos populacionais realizados desde a década de 1990 mostram que o consumo de 1 ovo / dia não aumenta o risco de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral em indivíduos saudáveis. Uma meta análise de estudos prospectivos foi publicada em janeiro de 2013 e apresenta como resposta uma não associação entre o consumo de ovos e o risco de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral em indivíduos saudáveis. Estudos que apresentam associação de risco em pacientes diabéticos ainda precisam de mais estudos. O Instituto Ovos Brasil entende que são necessárias mudanças no estilo de vida das pessoas para uma alimentação equilibrada, já que estudo da Sociedade Americana de Nutrição mostrou que o consumo diário de ovos e a diminuição de carboidratos na dieta, além de provocar perda de peso, ajudou no aumento da fração HDL (colesterol bom).

Há quem acredite que o ovo possui muitos hormônios, limitando sua ingestão diária. É uma atitude correta?

Isso é um mito. O ovo não possui hormônios e pode ser utilizado tranquilamente pela população.

Qual a média de consumo por pessoa no Brasil? O que representa este número?

Em 2007, quando o Instituto Ovos Brasil iniciou suas atividades, o consumo per capita era de 130 ovos. Em 2012, o consumo per capita já atingiu 164 ovos/ano. O objetivo da entidade é alcançar o consumo de 4 ovos por semana, o que representaria o equivalente a 208 ovos por pessoa, sendo que o consumo médio mundial é em torno de 210.

Por que o ovo auxilia no processo de emagrecimento quando ingerido pela manhã?

O ovo é uma fonte importante de proteína e gorduras. Estes dois nutrientes promovem a saciedade, além de oferecerem um maior número de nutrientes como vitaminas, minerais e carotenóides, quando comparado a um café da manhã típico do brasileiro - o famoso pão com manteiga. No entanto, só apresentará algum efeito de fato se a pessoa tiver o cuidado de reduzir as porções de alimento ingeridas ao longo do dia, ingerindo menor quantidade de alimentos.

Qual a forma correta e mais nutritiva de ingeri-lo? Por quê?

Preferencialmente, o ovo deve ser consumido cozido, assim não se tem acréscimo de gorduras e com isso a elevação das calorias. No entanto, se um omelete for preparado com pouco ou sem óleo numa frigideira antiaderente e adicionado de cheiro verde, cebola picada ou alho poro, brócolis picado, azeitona picada, cenoura ralada, castanha de caju picada ou xerém - pode-se fazer uma refeição rica em nutrientes diferentes para compor uma refeição mais saudável. Outra questão relacionada ao ovo é que deve ser consumido cozido. Isso porque o calor inativa algumas enzimas causadoras de fatores antinutricionais, a exemplo da avidina (que impede a absorção de biotina, uma vitamina importante do complexo); das ovomucóide e ovoinibidor (enzimas inibidoras de enzimas digestivas); da ovotransferrina (transforma o ferro, impedindo sua absorção pelo organismo).

Fala-se das substâncias nutricionais contidas na casca do ovo. Seu consumo é recomendado?

A casca do ovo é rica em carbonato de cálcio, uma forma biodisponível que tem sido utilizada como mistura. No entanto, para que o nutriente seja absorvido, é preciso estar na forma de pó, já que o carbonato de cálcio é biodisponível em meio ácido. Geralmente, o pó pode ser ingerido em sucos, vitaminas ou saladas.

Há alguma substância necessária ao bom funcionamento do organismo que só existe no ovo?

A natureza possui alimentos diferentes com os mesmos nutrientes. Contudo, o ovo é um dos poucos alimentos que tem vitamina D e vitamina K na sua composição. Também possui uma quantidade significativa de colina, vitamina do complexo B, que desempenha importantes funções no organismo, pois integra a membrana celular e facilita a condução de impulsos nervosos. Para gestantes, esse alimento é essencial no desenvolvimento fetal, reduzindo o risco de defeitos do tubo neural, além auxiliar na formação da memória. Já aos idosos, ele promove a produção de acetilcolina importante para a memória. A deficiência de colina está relacionada a processos inflamatórios responsáveis pelas doenças cardiovasculares. O ovo integra o grupo das proteínas na pirâmide alimentar de fácil preparo e baixo custo, sendo ao mesmo tempo muito saboroso.

Vicky Nóbrega
Especial para o Vida

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.