CONSUMO

Nutrição esportiva

22:15 · 03.09.2011
( )
A automedicação e o uso indiscriminado de suplementos
A automedicação e o uso indiscriminado de suplementos ( Arquivo )
Doping acidental é causado por estimulantes ingeridos por meio de suplementos

A automedicação e o uso indiscriminado de suplemento alimentares são problemas graves para a sociedade, pois não existem mecanismos de controle nacionais ou internacionais que garantam níveis seguros para o consumo. Esta foi uma unanimidade entre os participantes da mesa redonda "Doping: Mitos e Verdades", do Fórum Internacional de Nutrição Esportiva, realizado em São Paulo.

Segundo o diretor do Departamento Antidoping do Comitê Olímpico Brasileiro e membro do Comitê Médico do Comitê Olímpico Internacional, dr. Eduardo de Rose, o doping involuntário será evitado ao máximo no evento. Como exemplo, o médico diz que as carnes que serão consumidas pelos atletas na Vila Olímpica de Guadalajara durante os jogos Pan-Americanos deste ano, passarão por rigorosos testes. A substância Clembuterol, quando utilizada para engordar o gado, pode passar posteriorente da carne contaminada para o atleta que a consumir.

No Brasil, os esportes que acusam percentuais mais altos de doping são o levantamento de peso, boxe, equestre (cavalheiro), tiro com arco e basquete. Estima-se que cerca de 70% dos casos internacionais de doping sejam causados por anabólicos; no Brasil, a maioria é causada por estimulantes ingeridos pelo consumo de suplementos.

Para evitar o doping acidental é preciso que os atletas não tomem remédios involuntariamente. Um exemplo é o analgésico, substância não dopante. "Ele é permitido. O que pode vir a ser proibido é a formulação de determinado analgésico". Outro destaque é a necessidade de mudar a cultura do brasileiro trabalhando as categorias de base enquanto os futuros atletas ainda são crianças.

O dr. Marco Michelucci, oficial médico da FIFA e consultor da OMS e da Agência Mundial Antidoping, denuncia o uso excessivo de anabólicos nas academias, onde se pratica o esporte como lazer. É nesse ambiente que, segundo ele, os adolescentes adquirem hábitos perniciosos à saúde e à prática do esporte. "Os super-heróis do passado eram franzinos e os de hoje ganham pelo volume dos músculos e não pela inteligência".

O médico especialista em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício, Paulo Zogaib, afirma que nenhum suplemento está isento de substâncias ilegais. "A solução não é fácil. Sempre aconselho a não tomar suplemento. Mesmo porque, na verdade, não é preciso. As substâncias utilizadas costumam ser importadas e difíceis de controlar".

"O próprio nome já diz o que ele é. O suplemento não passa de um complemento. O mais importante é realizar uma dieta nutricional adequada. Principalmente porque os suplementos resultam em efeitos colaterais como sobrecargas hepáticas e renais, retenção de líquidos, vícios em certas substâncias entre outros", conclui.

Estimativa

70% dos casos internacionais de doping podem ser causados por anabólicos; no Brasil, a maioria é provocada por estimulantes ingeridos por meio do consumo de suplementos alimentares.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.