PERSPECTIVA

Filosofar: cultivar relações é essência do bem viver

17:39 · 17.09.2011
( )
O princípio do bem viver é estabelecido pelas corretas relações dos homens entre si e com a natureza
O princípio do bem viver é estabelecido pelas corretas relações dos homens entre si e com a natureza ( Arquivo )

A vida é cuidar das relações que se mantém consigo e com os demais, com novos significado

A vida é relação. Estar aberto a ela, pela aceitação do contato com as demais pessoas e com tudo o que nos cerca, é também se permitir afetar e ser afetado, enfim, sermos mais transparentes com nossos afetos.

O filósofo e professor Regenaldo da Costa é também um dos pensadores que observa o viver pela perspectiva relacional. Ele é o convidado deste mês do CASa de Filosofia, um seminário mensal de estudos de Filosofia. O evento, cujo tema será o "Bem Viver" e está sendo promovido pelo Projeto CASa - Comunidade e Aprendizagem Significativa da Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal do Ceará (UFC), acontece dia 28, às 16 horas, no auditório Cândido Pamplona (Centro de Tecnologia da UFC).

Doutor em Ética e Filosofia Política pela PUC (RS), professor efetivo da UFC e da UECE, além de líder dos Grupos de Pesquisa Filosofia dos Direitos Humanos (UFC) e Ética e Direitos Humanos (UECE), professor Regenaldo é autor dos livros "Ética do Discurso e Verdade em Apel" (Editora Del Rey) e "Ética e Filosofia do Direito" (ABC Editora).

Como costuma caracterizar o viver humano?

Viver é estar em relações. As relações que constituem o viver humano são expressas de três modos fundamentais: a) as relações do ser humano consigo mesmo e com os de sua espécie; b) as relações do ser humano com as outras espécies vivas e com a natureza como um todo; c) as relações do ser humano com o sentido da existência. A maior tarefa do viver humano é compreender teórica e praticamente essas relações para construir um modo de vivê-las bem e poder bem viver.

Na perspectiva filosófica, que desafios apresenta o viver?

Um elemento fundamental do viver humano é a relação consciente com a sua vulnerabilidade, a qual se expressa através da dor, do sofrimento, mas, de modo especial, através da ameaça constante de negação da vida e ameaça da morte. Os seres vivos compartilham dessa vulnerabilidade, porém, só o ser humano é capaz de significar a morte. Outro elemento essencial do viver humano é que a vida humana necessita de cuidados para sua preservação e seu bem-estar. O ser humano necessita de liberdade, respeito, comida, abrigo, água, afeto, proteção.

Esse cuidar não se reporta à toda a natureza?

Os outros seres da natureza também necessitam de cuidados, embora, esses cuidados estejam sob o encargo da programação da natureza. No ser humano, porém, os cuidados com a vida não dependem somente de uma programação biológica, ou seja, o animal humano inventa e significa suas relações com a natureza e com os homens para poder proporcionar a proteção e os cuidados necessários à vida. O desafio fundamental para o viver humano é a necessidade de construir suas relações de modo a lhe permitir seu bem viver. Estabelecer corretas relações é desafiante - é nas relações que a vida pode ser preservada, cuidada, ameaçada, maltratada.

Esta é , portanto, a essência do bem viver?

Sim. O bem viver é o estabelecimento de corretas relações dos homens entre si e com a natureza, de modo a possibilitar a realização do bem e da justiça nas suas relações e, por consequência, uma aproximação da vida boa. Nós homens, no entanto, podemos prejudicar uns aos outros através de nossos relacionamentos e, com isso, virar as costas para o bem viver e a vida boa. Na história da humanidade temos feito isso. É o caso quando guerreamos, escravizamos, assassinamos, torturamos e exploramos uns aos outros. Tudo isso é feito sem um controle da natureza, pois a capacidade de escolha e o poder de autodeterminação da vontade nos transpõem para além dos limites de comportamento impostos pela natureza. Assim sendo, a capacidade que temos de fazer mal a nós mesmos, aos de nossa espécie, aos de outras espécies e à natureza, como um todo, nenhum outro ser vivo desse planeta terra tem. Daí, podemos compreender a necessidade do estabelecimento de limites éticos para a conduta humana.

Até que ponto pensar filosoficamente ilumina e pode redirecionar o viver?

Sem limites éticos que regulem nossa liberdade, nos clareando sobre o que é certo ou errado, bem ou mal, justo ou injusto em nossas relações e em nossa conduta, o viver humano ficaria sujeito ao instinto e ao arbítrio das vontades e, portanto, a um forte grau de vulnerabilidade, bem distante da possibilidade do bem viver. É necessário se estabelecer um certo grau de clareza - o que é o certo e o errado, o bem e o mal, o justo e o injusto - nas relações e no comportamento humano. No entanto, isso não é tarefa fácil, pois a compreensão desses conceitos pode variar de pessoa para pessoa, de sociedade para sociedade, e cada compreensão considera-se correta e considera as outras compreensões erradas. Ora, para uns a escravidão de alguns seres humanos, a submissão da mulher ao homem, a atribuição de superioridade racial e a censura religiosa são corretas e para outros o correto é o contrário.

Como avaliar quem está com a correção?

A opinião e a crença não são critérios suficientes para essa avaliação, pois dependem de certezas meramente subjetivas e arbitrárias. Os costumes também são arbitrários e convencionais. Apelar para Deus não nos ajuda a resolver, pois há diferentes concepções de Deus e foi também em nome de Deus que muitos crimes foram cometidos. É nesse contexto que a filosofia, em especial a Ética, pode trazer uma luz, pois desde seus inícios na cultura ocidental ela buscar estabelecer com razões suficientes os princípios universais que podem iluminar o discernimento sobre o bem e o mal, o justo e o injusto, e com isso contribuir para o bem viver e o viver bem.

De que modo o pensamento filosófico atual continua contribuindo para o devir da vida humana?

A vida humana nunca foi tão vulnerável quanto nos tempos atuais. As conquistas da ciência e da tecnologia forneceram um poder demasiado grande ao animal humano. Considerando a possibilidade do mau uso desse poder, o bem viver das gerações presentes e futuras está sob constante ameaça, haja a vista a ameaça de uma guerra nuclear de extermínio e os desafios ecológicos, tais como: o efeito estufa, a poluição ambiental, o aumento de escassez de água potável, etc. O futuro do bem viver humano pode estar comprometido pelas consequências, algumas talvez irreparáveis, dos erros que hoje cometemos em nossas escolhas e em nossa conduta que, muitas vezes, nem são movidas pelo compromisso com o bem e com a Justiça, mas pela sedução irracional de concentração de poder, riqueza e glória. Nesse contexto, compete hoje ao conhecimento filosófico contribuir para nos despertar de nosso hipnótico e narcísico sonho consumista de poder, riqueza e glória e nos advertir, tal como se faz com crianças que brincam com fogo, da possibilidade de resultados catastróficos de condutas irresponsáveis e prejudiciais à vida e ao bem viver e nos chamar à luz da razão para que busquemos, em primeiro lugar, viver conforme os princípios racionais difundidos do bem e da Justiça, para nos tornarmos merecedores de todas as outras coisas e, por consequência, merecedores do bem viver para viver bem.

Fique por dentro

Aprender sempre

A CASa de Filosofia é um seminário mensal de estudos de Filosofia promovido pelo Projeto CASa da Universidade Federal do Ceará (UFC). Até o final de 2012, conforme seu coordenador, o professor Francisco José Cavalcante Júnior, estão programados 14 seminários, com a participação dos mais eminentes professores de Filosofia da UFC e de outras universidades brasileiras. O objetivo é estes pesquisadores compartilharem suas reflexões sobre temas de interesse contemporâneo, destinado à aprendizagem da Filosofia.

A participação na CASa de Filosofia é gratuita e aberta a qualquer interessado mediante inscrição no site www.casa.ufc.br. A primeira edição do evento aconteceu no dia 31 de agosto , com o tema "Filosofia do Amor", e a participação dos professores Custódio Almeida e Konrad Utz do curso de Filosofia do Instituto de Cultura e Arte (ICA) da UFC.

No Projeto CASa os mais de 800 novos professores empossados a partir de 2008 na UFC, atuam de forma cooperativa, criando comunidades de aprendizagem, denominadas de Ambiência Temática. Cada comunidade escolhe o que quer aprender.

Prof. Cavalcante Jr explica que foi em uma dessas comunidades, a Ambiência Temática "Desenvolvimento Sustentável", composta por engenheiros recém-ingressos e coordenada pelo Prof. Ronaldo Stefanutti, (do Depto de Engenharia Hidráulica e Ambiental da UFC), que surgiu o interesse de estudar e promover seminários de Filosofia, realizados em 2010. Estes serviram de ideia seminal para a CASa de Filosofia, agora disponível para a participação de todos os interessados nas temáticas. Os eventos mensais acontecem na última quarta-feira de cada mês, das 16 às 19 horas, no auditório Cândido Pamplona do Centro de Tecnologia da UFC (Bl 711, Campus do Pici).

ROSE MARY BEZERRA
REDATORA DO VIVA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.