Tabagismo

É preciso impor limites

22:15 · 03.09.2011
( )
Aliança de Controle do Tabagismo fecha o cerco com a campanha "A indústria do tabaco precisa de limite"
Aliança de Controle do Tabagismo fecha o cerco com a campanha "A indústria do tabaco precisa de limite" ( Arquivo )
Mesmo com as inúmeras campanhas antitabagistas, as indústria de cigarro ainda encontram maneiras de chegar aos consumidores. A liberdade para fazer propaganda em todos os pontos de venda (o que atrai novos fumantes), a localização privilegiada do produto (sempre perto de doces e chocolates), a venda próxima a escolas e universidades e a inserção de aromas e sabores (e tornar o cigarro mais agradável) são algumas das estratégias utilizadas pelos fabricantes para manter aceso o hábito de fumar da população.

São questões como estas que norteiam a nova campanha da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT). Sob o lema "A indústria do tabaco precisa de limite", a ação foi lançada no último dia 29, Dia Nacional de Combate ao Fumo. A campanha tem parceria com a Fundação do Câncer e é financiada pela organização internacional Tobacco Free Kids (Crianças Livres do Tabaco), com recursos da Iniciativa Bloomberg.

Pesquisa

O estímulo para a criação da campanha surgiu depois de uma pesquisa encomendada em abril de 2011 ao Instituto Datafolha, com homens e mulheres acima de 16 anos, em 145 municípios de todas as regiões do Brasil. Os resultados mostraram que 86% dos entrevistados se mostraram favoráveis à proibição da divulgação de produtos derivados do tabaco junto aos jovens, já que é bastante comum a promoção de cigarros em festas e eventos frequentados por este público. Um fato curioso é que 75% dos fumantes que responderam à pesquisa também aderem à proposta.

Regulamento

No final de 2010, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizou duas consultas públicas buscando regulamentar as advertências presentes nos maços e nos materiais de propaganda de cigarro, além de proibir a exposição do produto nos locais de venda. Outro ponto defendido visa a proibição de aditivos que confiram sabores e aromas aos cigarros. As duas propostas estão em consonância com a Convenção Quadro para o Controle do Tabaco, tratado estabelecido pela Organização Mundial de Saúde. Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas no site www.limitetabaco.org.br.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.