ALIMENTAÇÃO

É no detalhe que mora o perigo

20:43 · 14.05.2011
A falta de tempo para cozinhar e fazer refeições tranquilamente mudou os hábitos alimentares da maioria dos brasileiros nos últimos anos. Para atender a essa demanda, a oferta e o consumo de alimentos industrializados cresceu rapidamente, fazendo com que não atentemos para a procedência do que é ingerido como deveríamos.

Gastar alguns minutos para analisar e compreender as informações contidas nas embalagens é de grande importância para uma alimentação saudável e segura. O rótulo de um alimento é um canal de comunicação entre o produtor e o consumidor, contendo informações sobre a procedência do produto, definição, ingredientes, presença de aditivos, fabricação e validade, instruções de consumo, preparação e conservação (antes e depois de aberto).

Segundo a professora do curso de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Ceará (UFC), Evânia Altina Teixeira de Figueiredo, tais informações são fundamentais a grupos específicos com restrições alimentares ou problemas de saúde". Já de acordo com a professora do curso de Nutrição da Universidade de Fortaleza (Unifor), Valéria Cavalcanti de Aguiar, ler aquelas palavrinhas que quase não se consegue ver é essencial, pois geralmente é lá onde podemos reconhecer componentes que devem ser restringidos da dieta.

Boas escolhas

O equívoco ainda é muito comum ao examinar e escolher o produto a ser consumido. Valéria Aguiar cita como exemplo a informação "sem gordura trans" contida no rótulo e que deve ser pensada na embalagem como um todo e não só em uma porção. Outro erro é achar que, por conter a indicação "sem conservantes", o produto está isento de qualquer outro aditivo químico (acidulantes e aromatizantes).

Ao observar os ingredientes, devemos saber que estão em ordem decrescente de quantidade, ou seja, o primeiro ingrediente está em maior proporção. É preciso atentar especialmente para a quantidade de açúcar, sódio e gordura hidrogenada, pois o excesso dos três está envolvido com doenças como diabetes e hipertensão.

Ler a definição do produto pode evitar que o consumidor leve uma bebida láctea ao invés de leite, por exemplo. Para os celíacos e intolerantes à lactose, procurar sempre pela indicação "não contém glúten" e "não contém lactose", respectivamente.

No caso dos diabéticos é vital fazer sempre a diferenciação entre os itens diet e light, assim como ficar atento mesmo quando o produto diz não conter açúcar em sua composição. A professora Valéria Aguiar reconhece ser "grande a necessidade de uma legislação menos falha, assim como campanhas educativas e maior rigor na aprovação dos rótulos para evitar informações enganosas".

CALCULE

100g
ou 1kg de produto. Leve um calculadora para saber o quanto está pagando por estas porções. No mercado existem várias marcas de um mesmo produto que estão fracionados com pesos diferentes. O produto em promoção pode está mais caro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.