Proteína

Dieta repõe a perda natural de colágeno

00:24 · 09.07.2013
O ideal é investir na alimentação rica em vitamina C, zinco, cobre, manganês e silício. A saúde da pele agradece

Desde os tempos antigos, boa aparência sempre foi um requisito que agrega valor à pessoa. A modernidade trouxe de novo transformar a beleza e juventude em mercadorias, o que acarreta no rápido crescimento de técnicas rejuvenescedoras. Caso da ingestão de colágeno, proteína que representa de 25% a 30% de toda proteína do organismo humano, presente nos tecidos do corpo, principalmente, na pele, nos ossos, nos tendões e nos dentes. Sua principal característica é a formação de fibras insolúveis com alta força elástica, com capacidade de hidratação, reabsorção e baixa antigenicidade.

Ao contrário do que se imagina, a gelatina não é a principal fonte alimentar que estimula a produção de proteínas e de colágeno no organismo Foto: Divulgação

De acordo com a nutricionista Sônia de Castro, especialista na área de Nutrição e Estética e professora do curso de Nutrição da Universidade Estadual do Ceará, a dieta equilibrada e os compostos bioativos dos alimentos são elementos-chave para a manutenção da saúde e beleza da pele. Castro também coordena o Escritório de Cooperação Internacional da Uece.

Mais elasticidade

Os cientistas investigam o efeito do colágeno no metabolismo dos ossos e cartilagens durante décadas. Estudos clínicos realizados em vários países mostram que os pacientes reportam uma redução significativa da dor após a ingestão de, em média, 10 gramas de colágeno hidrolisado por dia.

"Essa é a dosagem indicada geralmente e não há contraindicação. Entretanto, mesmo com a suplementação do colágeno associada a vitaminas e a minerais adequados para fins estéticos, não há como garantirmos que será utilizado pelo organismo para melhorar a elasticidade da pele ou será usado pelos tendões. São necessários mais estudos para avaliarmos sua eficácia", esclarece a nutricionista.

O que pode ser dito é que o colágeno hidrolisado comercializado pela indústria é rapidamente absorvido pelo organismo. Na maioria das vezes, é vendido isoladamente e pode ser encontrado nas formas líquida, em cápsula ou em pó.

Reposição

Para repor a substância, é necessário um conjunto de fatores a começar por manter hábitos saudáveis: hidratar-se e alimentar-se adequadamente; usar fotoprotetor em caso de exposição solar; não fumar e não abusar de bebida alcoólica. A reposição de colágeno por meio de uma suplementação alimentar é uma boa alternativa para a manutenção da estética e beleza, assim como no auxílio nos tratamentos de osteoartrites.

"O colágeno é reposto no organismo por meio da alimentação equilibrada. Além de proteínas para a formação do colágeno, são necessários nutrientes como vitamina C, zinco, cobre, manganês e silício. Deve-se incluir no cardápio os cereais integrais, as leguminosas, oleaginosas, frutas, verduras e legumes (de preferência os orgânicos). A partir dos 30 anos de idade é recomendada a suplementação, pois é quando inicia a redução na produção da substância pelo organismo", informa.

A quem questiona onde está a gelatina na lista, a nutricionista Sônia de Castro é enfática ao declarar que o produto não é a primeira fonte alimentar que estimula a produção de proteínas e colágeno. Para tal, são indicadas: carnes (vermelha, aves e peixes); proteínas em geral; frutas (laranja, morango, kiwi, limão, acerola e abacaxi); selênio (castanhas e nozes); zinco (avelãs, amêndoas, castanhas e carnes) e vitamina E (peixes e azeite de oliva extra virgem). "Deve-se ter cuidado na compra de produtos que dizem ter colágeno, pois a quantidade pode ser insuficiente e não fará nenhum efeito", revela.

Para garantir eficácia, é essencial consultar um profissional, de preferência um nutricionista com especialização em estética ou cosmetologia, que avaliará a qualidade da dieta e fará uma avaliação nutricional para ver as necessidades individuais de calorias. A conduta melhorará não somente a pele, mas a saúde como um todo. "Para manter a aparência jovem, deve-se cuidar da saúde de forma geral para ter os efeitos desejados", encerra.

FIQUE POR DENTRO

Sua função é estrutural e de sustentação

O avanço da idade interfere na pele, nos processos de permeabilidade, cicatrização, função imunológica, produção de suor, síntese de vitamina D, alterações no mecanismo de estabilidade e reparo do DNA, na síntese de lipídeos e no metabolismo celular. Além de envolver fatores ambientais (irradiação solar, fumo, dieta pobre em vitaminas e minerais) e internos (redução de enzimas antioxidantes, aumento da produção de radicais livres, diminuição da capacidade de reparação de tecidos e da vascularização, depleção hormonal).

O colágeno é produzido no organismo desde o nascimento, porém a partir dos 30 anos ocorre uma diminuição na sua produção. Fator que leva principalmente à redução da elasticidade da pele, entre outras consequências. A principal função do colágeno é estrutural, pois dá sustentação às células, mantendo-as unidas. Mas também combate a flacidez, as rugas e a fragilidade óssea; enrijece os tecidos da pele; colabora no aumento da tonicidade dos músculos; previne o surgimento das estrias e da celulite; fortalece as unhas e os cabelos; e auxilia como coadjuvante em dietas de emagrecimento.

Diante de tantos benefícios, as mulheres que ingerem colágeno específico para homens na crença de que o efeito será melhor, enganam-se. Sônia de Castro destaca que os homens produzem mais colágeno que as mulheres, por isso têm a pele mais firme e precisam menos da substância. O produto se restringe às necessidades do público masculino.

VICKY NÓBREGA
ESPECIAL PARA O VIDA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.