Prisão de ventre

Dieta deve privilegiar itens crus e integrais

23:49 · 29.07.2013
Mas o que é a constipação intestinal? Segundo o coloproctologista e colonoscopista, Beethoven Landim, é uma doença caracterizada pela dificuldade persistente de evacuar, sensação frequente de evacuação incompleta, diminuição na frequência das evacuações (no mínimo três vezes por semana) ou aumento excessivo na consistência das fezes.

Arroz, pães e bolachas integrais, verduras cruas, frutas com bagaço e casca, além de frutas com propriedades laxativas (manga, laranja, ameixa e melancia) são excelentes para ativar o intestino preguiçoso fot: agência diário.

O que é ser "enfezado"

Os sintomas mais comuns são empachamento e distensão abdominal, cólicas, dor ao evacuar, alterações no humor (de onde vem o termo "enfezado, pessoa cheia de fezes e nervosa) e aparecimento de sangue nas fezes. Das causas, não só fatores comportamentais e emocionais, como também síndrome do intestino irritável, distúrbios funcionais e pélvicos, uso de medicamentos, transtornos neurológicos e hormonais, podendo o quadro evoluir e causar o estreitamento do intestino.

Nos casos mais graves, pode haver complicações como a formação de "fecalomas" (fezes retidas e de consistência extremamente endurecidas), úlceras no reto, sangramentos mais volumosos e obstrução intestinal. "Há maior risco de desenvolver câncer em decorrência ao contato prolongado das fezes com a mucosa do intestino e do reto", destaca Bethoven Landim.

Quanto aos sangramentos, o médico esclarece que são mais frequentes a ocorrência nas veias do canal anal independente da presença de doença hemorroidária. No entanto, alerta: "Sangramentos persistentes podem representar doença secundária grave e devem ser investigados por um especialista".

Identificar as causas

O diagnóstico é feito com exame clínico, sobretudo por meio de anamnese. "O papel do coloproctologista é tratar os casos refratários (resistentes), identificar possíveis causas secundárias por meio de exames laboratoriais, de imagem, testes funcionais e colonoscopia e, em casos extremos, promover o alívio com medicamentos sintomáticos, esvaziamento do reto ou cirurgia paliativa", esclarece.

Ainda segundo Beethoven Landim, o tratamento vai depender da causa. O médico pontua que os mais frequentes que são reeducação alimentar; medidas comportamentais; tratamento medicamentoso - suplementos de fibras, agentes laxativos, moduladores dos movimentos intestinais (pró-cinéticos); fisioterapia e, em casos excepcionais, tratamento cirúrgico.

O coloproctologista alerta quanto ao uso de laxantes. Devem ser utilizados em períodos que variam conforme a gravidade do caso, sendo recomendado quando as medidas comportamentais, dietéticas e suplementos de fibras não são suficientes. Além disso, o uso deve ser acompanhado pelo médico, tendo sempre o objetivo de substituí-lo por tratamentos mais naturais.

Dieta rica em fibras

Apesar dos prejuízos, há formas simples de amenizar ou evitar esses problemas. Um dos pilares para o tratamento da constipação é a terapia nutricional, diz Raquel Pessoa, especialista em Nutrição Clínica com ênfase em Suplementação Esportiva e membro da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição. O importante, segundo ela, é adotar uma dieta rica em fibras (frutas, legumes, cereais integrais e folhosos), a fim de fornecer ao organismo no mínimo 25 gramas de fibras diárias, sem esquecer de ingerir pelo menos dois litros e meio de água por dia.

O consumo elevado de fibras deve ser associado ao aumento de líquidos, do contrário, pode haver a piora do quadro de constipação. "Priorize alimentos integrais como o arroz, pães e bolachas integrais; frutas com bagaço e casca; verduras cruas; além de elevar o consumo de linhaça, chia e frutas laxativas (mamão, ameixa, manga, laranja e melancia)".

Na maioria dos casos, probióticos, prébióticos e suplementos de fibras são indicados pelos nutricionistas para promover a melhora na resposta ao tratamento. Os probióticos são alimentos que contêm micro-organismos vivos, capazes de promover o equilíbrio da flora intestinal. Podem ser cultivados nos produtos lácteos fermentados e, após ingeridos, irão se desenvolver no intestino como flora não patogênica com ações antidiarreica, anticonstipante e antiflatulência.

Já os prebióticos são fibras solúveis que servem de ingredientes para alimentos funcionais. Elas passam pelo trato gastrointestinal sem serem absorvidas, chegando intactas ao cólon sendo substâncias muito benéficas ao organismo.

Ir ao banheiro sem medo

É indicado alimentar-se sempre nos mesmos horários; praticar exercícios regularmente, pois auxilia no aumento do peristaltismo intestinal; e respeitar o reflexo intestinal, se possível adotando uma rotina diária. "É vital atender ao estímulo de defecação sempre que sentir vontade de evacuar", diz Raquel Pessoa.

A quem não utiliza o vaso sanitário de lugares públicos por questões higiênico-sanitárias, a nutricionista sugere o uso de um protetor para assento sanitário descartável. Se não tiver esta opção, pode-se usar também o álcool em gel como antisséptico.

FIQUE POR DENTRO

A web também ajuda com informações

Ter um intestino preguiçoso é muito desconfortável e pode interferir seriamente em nossas vidas. Isso acontece quando, por uma razão ou outra, o sistema digestivo de uma pessoa não funciona como deveria. Para melhorar a qualidade de vida e ajudar as pessoas que têm prisão de ventre a combatê-la, o site Intestino Preguiçoso (http://www.intestinopreguicoso.com.br/), desenvolvido pela Boehringer Ingelheim, oferece dicas eficientes.

O Guia do Intestino em Dia disponibiliza vídeos para auxiliar mulheres que sofrem com o problema. São quatro módulos divididos em temas do cotidiano que podem melhorar ou atrapalhar o funcionamento regular do intestino: trabalho, férias, alimentação e exercícios físicos. O site possui informações sobre mitos e verdade em torno da doença, seção de dúvidas, receitas saudáveis com alimentos que melhoram o funcionamento do intestino, além de notícias sobre saúde e bem-estar, calculadora de fibras, de Índice de Massa Corporal (IMC) e para medir o gasto calórico.

"Ainda é um tabu, para as mulheres, falar sobre intestino preguiçoso e a plataforma busca esclarecer as causas e fornecer dicas de saúde de uma forma mais descontraída. Todos sabem que alimentação saudável é importante para regular o funcionamento do intestino, mas poucos deles têm conhecimento se estão ingerindo a quantidade necessária de fibras diariamente", comenta Thatiana Coelho, gerente das marcas Dulcolax e Guttalax na Boehringer Ingelheim.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.