ENTUSIASMO

Compromisso com a vida

23:13 · 27.08.2011
( )
Ricardo Aderaldo é hoje personal coach, e sua satisfação pessoal vem de estar conseguindo unir seu talento artístico e de professor para ajudar outras pessoas a despertarem seus potenciais
Ricardo Aderaldo é hoje personal coach, e sua satisfação pessoal vem de estar conseguindo unir seu talento artístico e de professor para ajudar outras pessoas a despertarem seus potenciais ( Arquivo )
A ambição está além de computar bens, aquisições, títulos ou conhecimentos e sim em colocar seus talentos em ação, disseminando o seu melhor ao mundo. Só com autoestima se firma com a vida um compromisso em ações afetivas

O gênio inventivo humano costuma se manifestar de tal forma que sempre maravilha a todos. Nada disso é tão importante, revela o pensador e escritor Lourenço Prado (Alegria e Triunfo, Ed. Pensamento), como o aperfeiçoamento que cada um pode fazer consigo mesmo.

A falta de estímulo, entusiasmo e compromisso com a vida está na raiz de muitos problemas que se sucedem e avolumam entre as pessoas. Crenças coletivas de que os esforços não resultam em nada e de que é difícil mudar as regras do jogo, só criam vitimização e imobilização.

Motivar-se a mudar

Com a crise que aparenta ter eclodido na área econômica, com reverberação para todas as demais (do desemprego às doenças, dos conflitos internos aos coletivos), não é a toa que nos últimos anos estejam se disseminando a efervescência religiosa, os grupos de ajuda, os materiais de autoajuda e uma profissão que começa a se configurar como a de um mestre ou professor para certas pessoas, um psicólogo para outros tipos e até um médico para outras, ou seja, o coach.

O coaching (metodologia aplicada por um coach) é um processo que se propõe a facilitar o autoconhecimento, autodescobertas e o acompanhamento das delicadas fases de transição da vida. Estar perdido no meio do processo de mudança é muito comum e, com a sucessão delas, nada mais importante do que manter a consciência alerta e os pés bem firmes na realidade.

A assistente social paulista Ana Godoy, ao longo de muitos anos, atuou no setor de Recursos Humanos de uma grande empresa, área de Benefícios e Qualidade de Vida. O contato humano lhe valeu larga experiência para a nova carreira de coach, que assumiu, há pouco mais de cinco anos, após se aposentar.

Hoje residindo em Sorocaba, interior paulista, ela explica que há coaches que atuam além da área empresarial e de business. Pode-se escolher ser acompanhado por um coach ao ter de se escolher uma profissão (na época do vestibular), mudar de carreira ou para se preparar para a aposentadoria; antes da mudança do casamento ou quando for ter filhos. Há coaches que ajudam pessoas a perderem peso e até em processos de saúde mais delicados. E mesmo para quem quer seguir uma carreira artística.

"Nos Estados Unidos, é muito comum o coach na área dos esportes e artística. Vemos os ganhadores do Oscar agradecerem Deus, em seguida seu coach e, só depois, à família", diz.

Chama sempre acesa

A essência do Coaching está na avaliação dos objetivos e metas pessoais e conjuntas, direcionamento e ação para alcançá-las. Conforme o terapeuta e coach alemão, Bernt Isert, que estará em Fortaleza entre 2 a 4 de setembro ministrando Workshop Introdução ao Coaching Sistêmico (www.espacoderenascer.com.br e lualstar@uol.com.br) a diferença do Coaching Sistêmico do Business Coaching é a aplicação de cada um. "O Business Coaching, muitas vezes, é focado apenas nos objetivos e estratégias individuais para alcançá-los, sem maiores mudanças internas. E sem olhar para todo o sistema e relacionamentos. Muitas vezes, esses objetivos acabam sendo uma parte do problema".

A enfermeira e acupunturista Sheila Bombonato se rendeu ao coaching após várias tentativas de reorientação de sua vida. "Por muito tempo me senti empacada emocionalmente, sem conseguir concluir as coisas a que me propunha a fim de alcançar minha autonomia financeira".

Sheila conta que após o coaching, conseguiu priorizar os estudos e suas muitas atribuições domésticas. Com a autoestima no lugar, sentiu-se mais apta a abrir mão do perfeccionismo para cumprir o que é essencial para sua vida, resgatando a disciplina e a harmonia familiar.

Ricardo Aderaldo, 27, personal coach há cinco anos, hoje reside em Salvador, atuando na Action Coach Nordeste. Afirma que o coaching lhe proporcionou o alinhamento que estava buscando em sua vida. Havia feito vários cursos, tido várias experiências profissionais, contudo, com o coaching pode integrar suas habilidades naturais (é artista plástico e professor) com a escolha de uma profissão que o realiza em todos os aspectos. "Consegui fazer com que toda minha trajetória de vida fosse validada e minhas experiências anteriores pudessem ser somadas aos meus novos sonhos".

Fique por dentro

Comunicar melhor: pensar, sentir e agir

O terapeuta sistêmico e coach alemão Bernt Isert, criador da Metaforum, é autor da obra "A Linguagem da Mudança" (Quality Mark), que esclarece sobre a importância da comunicação (intra e interpessoal) como elemento essencial para se estabelecer pontes profícuas entre as pessoas, contribuindo com as mudanças.

Segundo a coach Ana Godoy, que atua na Consultoria Valorem, é o que comunicamos interiormente que irá garantir nossa autoestima e nossos estados emocionais mais equilibrados para empreendermos ações conscientes e coerentes para vivermos a vida que sonhamos. Pensar, sentir e agir devem ser congruentes. Caso espelhem nossas limitações, devemos assumir o compromisso de modificá-los, agindo neste sentido. Pessoas depressivas são as que têm maiores dificuldade em realizar o programa sistematizado por um coach. Elas acabam sabotando seus próprios esforços com sua negatividade.

O coach Ricardo Aderaldo diz que muitas pessoas têm sofrido com as mudanças que ocorrem hoje, devido à quebra dos referenciais de estabilidade sociais. Para ele, é importante se aprender o quanto antes a se integrar aspectos tangíveis, metas e objetivos à própria missão de vida. Com isso, se é presenteado com a visão de vida mutável e abundante.

Entrevista
Terapeuta, consultor e Coach

Há quanto tempo o senhor atua com o coach sistêmico?

O pensamento sistêmico e a terapia sistêmica são conhecidos há cerca de 30 anos. Tentei integrar meu trabalho com o coaching a essas raízes, adicionando novos modelos e métodos. Faço isso há 10 anos e cada ano ele vem se modificando.

Qual a conexão entre o coaching e as constelações familiares?

A Constelação é um trabalho que necessita sempre de um grupo de representantes. Já o coaching é uma atividade um a um. Em ambos usamos a perspectiva sistêmica. No coaching empregamos símbolos e figuras para representarem os sistemas sociais, como família ou relacionamentos profissionais. Com esses recursos, criamos condições de encontrar soluções para eventuais problemas.

Estes conhecimentos fizeram diferença em sua própria vida?

Sem dúvida, muita diferença. Caso contrário, não teria sido capaz de criar e conduzir um instituto internacional como o Metaforum. Fez grande diferença em minha vida pessoal. Encontrei paz dentro de mim e com minha família. Tenho hoje mais poder para dar minha contribuição às pessoas e ao mundo.

Fale mais sobre essas mudanças.

Descobri que posso criar mudanças significativas, quando entendo minha posição e a posição dos outros. Diante dessa perspectiva, posso soltar o que não é meu e cuidar melhor dos tesouros de minha vida.

Como vê o coaching sistêmico contribuindo para promoção de mudanças na vida das pessoas?

Penso que não podemos resolver nossos problemas apenas nos concentrando em nós mesmos. É importante olharmos para os sistemas maiores - para o passado, o presente e o futuro. Olharmos também para relacionamentos importantes, assim como para nossas distintas dimensões internas. Se fizermos isso, novas possibilidades aparecerão pois teremos mais poder e compreensão, chaves que realmente fazem a diferença.

Inicia aqui uma formação de coaching para o desenvolvimento pessoal e profissional?

O coaching sistêmico não é diferente do business coaching, embora o primeiro busque soluções diferentes em muitas áreas: no pensamento, nos relacionamentos, nos valores pessoais, em um novo comportamento. Isso, talvez, transforme até nossos objetivos. Na verdade, ao mudarmos nós mesmos, estamos mudando o mundo.

Por que o coaching dá tanta ênfase à performance profissional?

Muitas pessoas estão estressadas devido à sua vida profissional. Estão sobrecarregadas com as mudanças, com decisões a tomar, com relacionamentos difíceis e muito mais. O Coaching vai ajudá-las a encontrarem seu caminho para tomarem decisões certas, deixando ir o que não as apoiam. E encontrarem os recursos necessários para o sucesso e a felicidade. A maioria dos líderes precisa ser capaz de tomar decisões e criar sistemas maiores de pessoas cooperativas, eficientes e respeitosas.

Por que o coaching tem um papel importante no mundo atual?

Por sua perspectiva de ajudar as pessoas a saírem do mundo de problemas e entrarem no mundo de soluções. As mudanças estão muito velozes. E o coaching fornece o que estava faltando: uma relação competente individual, um processo de aprendizagem, pessoas bem orientadas diante da vida moderna e competentes para viverem em sociedade, apoiando umas às outras.


ROSE MARY BEZERRA
REDATORA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.