VEGETARIANISMO

Comer consciente

23:01 · 21.04.2007
( Reprodução )

VEGETARIANISMO

Não se trata de uma dieta, restrição alimentar ou escolha ´zen´. É uma questão de consciência.

Evite comer quando se sentir cansado, mal-humorado ou ansioso. Não ingerir alimentos feitos em ambientes em desarmonia, não limpos, magneticamente pesados, ou que tenham sido elaborados por pessoas infelizes, raivosas ou doentes.

Num primeiro momento, a mudança sugerida por Maria Laura Garcia Packer, professora de Yoga há 20 e vegetariana há 26 anos, parece ser quase impossível de ser cumprida nos dias atuais. Mas basta parar e observar o que temos a nossa volta para perceber-mos o quão sábias são suas palavras. ´A hora das refeições deve ser um momento de comunhão´, afirma a autora de ´Vegetarianismo sustentando a vida´ (Editora Letradágua), obra que será lançada, em julho, em Fortaleza, onde Packer ministrará mais um curso para formação de instrutores de Yoga.

A consciência frente ao que ingerimos é um princípios do Yoga: ´ele nos ensina que a escolha que fazemos frente às opções alimentares é fruto de nossa capacidade de reflexão. Quando escolhemos um alimento puro, mobilizamos forças mentais geradoras de transformação e cura´, diz Packer que dirige a Casa de Yoga Shanti OM e o Chacarananda Ashram, em Santa Catarina.

Num mundo de tantos apelos gastronômicos temos assistido a carência nutricional em suas múltiplas formas: a desnutrição causada pela ausência do alimento em si; e a fome oculta, organismos ´cheios´ de comida mas ´vazios´ de nutrientes. Isso ocorre, segundo Packer, porque os alimentos ofertados, em grande parte, são concentrados químicos destituídos de valores reais. ´Buscamos o que é gostoso, ao invés do que é saudável´.

Os alimentos não orgânicos estão isentos de oligoelementos e ricos em N (nitrogênio) P (fósforo) e K (potássio). Dai porque comemos muito e nos nutrimos pouco. ´Estamos sempre desejando experimentar algo mais. A vida se resume em comer e não aguardamos o tempo necessário para digerir e metabolizar´. O excesso de comida gera fermentações e combinações inadequadas, dificultando a absorção dos nutrientes´ É um círculo vicioso: a vida agitada gera ansiedade que mobiliza o desejo insaciável. ´Comemos para suprir um vazio que não sabemos o que é´, comenta.

Como obter uma maior consciência sobre o mal que fazemos contra o nosso próprio corpo? A transformação consciente, segundo Packer, pode começar quando olhamos para vida e indagamos o que podemos fazer para melhorar o mundo.

´Não podemos estar focados só no nosso bem-estar, na satisfação dos nossos desejos. Quando estamos comprometidos com o bem do outro, abrimos a consciência para viver em maior equilíbrio, pois da nossa ação depende a felicidade do outro. A busca de uma alimentação vegan inicia com a capacidade de perceber a plenitude da vida e de se viver com respeito e amor´.

Mais informações:

Lançamento do livro ´Vegetarianismo sustentando a Vida´ de Maria Laura Packer
dia 8 de julho
(85) 3087.9407 - 9607.7965
www.ekadantayogashala.pro.br

Comente
viva@diariodonordeste.com.br 

GIOVANNA SAMPAIO
Editora

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.