INFORMAÇÃO

Celíacos reivindicam atenção diferenciada

20:17 · 14.05.2011
( )
Zero glúten e lactose
Zero glúten e lactose ( )
Rocambole de chocolate: zero glúten e lactose
Rocambole de chocolate: zero glúten e lactose ( )
INFORMAÇÃO ACELBRA ALERTA: BUSCAR AJUDA MÉDICA ESPECIALIZADA PARA EVITAR FALSOS DIAGNÓSTICOS

No últimos anos a palavra glúten se tornou comum em nosso vocabulário. No entanto, poucos conhecem a real importância de identificar se ele está presente ou não em um alimento. Já para os portadores da Doença Celíaca, essa atitude é essencial, pois neles essa proteína pode desencadear vários danos à saúde, sendo seu consumo proibido para o resto da vida. Por isso, tem se reivindicado, além da identificação dos produtos e da sua inclusão em prateleiras especiais (a exemplo dos diet e light), mais informação à população.

Hoje, em comemoração ao Dia Internacional do Celíaco, a Associação dos Celíacos do Brasil (Acelbra-Ceará) realiza uma caminhada no Parque do Cocó para conscientizar a população. Durante a semana, a importância do diagnóstico e do controle da doença foram temas de palestras, oficinas e exposições.

Diagnóstico

A Doença Celíaca pode aparecer com uma grande variedade de sintomas ou mesmo ser assintomática, o que faz com que o diagnóstico se torne bastante difícil. Apesar disso, segundo a presidente da Acelbra-Ce, Cleoneide Oliveira, estar atento a sinais como emagrecimento repentino, dor e distensão abdominal, anemia, dor nas articulações, diarreia, vômito, depressão, dores de cabeça, fadiga e irregularidade menstrual é de extrema importância. Há pacientes que também se queixam de coceira na pele (Dermatite Herpetiforme), embora essa manifestação seja muito rara.

De origem imunológica e genética, a doença pode aparecer em qualquer idade e em ambos os sexos (predomínio no feminino). Por causar atrofia no intestino delgado e dificuldade na absorção dos nutrientes, a doença Celíaca, se não tratada, pode ocasionar anemia, osteoporose, baixa imunidade e câncer no aparelho digestivo.

Glúten

Presente no trigo, o glúten é uma proteína que se divide em glutenina e gliadina (sendo esta última a fração envolvida na doença). A cevada e o centeio, por conterem proteínas quimicamente semelhantes ao glúten, são igualmente tóxicas aos celíacos.

Apesar de estudos internacionais visarem o desenvolvimento de uma vacina para os intolerantes ao glúten, "não há, até o momento, medidas que evitem ou retardem os sintomas ou o surgimento da doença, sendo a dieta isenta de glúten a única opção para que o paciente tenha uma vida saudável", diz Cleoneide. Para isso, ele deve excluir produtos à base de trigo e derivados que tragam no rótulo a especificação "contém glúten", além de ter cuidado redobrado com a contaminação cruzada dos alimentos consumidos fora de casa.

Após o diagnóstico, o portador deve buscar orientação médica e nutricional. Fortaleza conta com gastroenterologistas e gastropediatras especializados em Doença Celíaca, enquanto (na rede pública) o centro de referência é o Hospital Albert Sabin.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.