CONHECIMENTO

Agulhas: enfrente o medo

03:27 · 11.09.2011
( )
A fisioterapeuta Maria Gore
A fisioterapeuta Maria Gore ( )
Mesmo com todos os protocolos que acompanham hoje o tratamento com acupuntura, recurso básico da medicina tradicional chinesa, as pessoas ainda fogem da agulha. Há alternativas com outras ferramentas na mesma linha

A Medicina Tradicional Chinesa não se resume somente à acupuntura, embora a associação entre os ocidentais seja imediata. Auriculoterapia, moxabustão, ventosas, fitoterapia, shiatsu (na verdade, este de origem nipônica mas que segue o mesmo princípio chinês) e, atualmente, a técnica de liberação emocional (também difundida como "acupuntura sem agulha"), são recursos que ajudam a manter o livre fluxo de energia das dimensões mais sutis à mais densa que é o corpo físico. A fisioterapeuta, especialista em shiatsu, acupuntura e laserterapia, Maria Goretti Maia Regis, esclarece de onde vem o medo da agulha e o que se pode fazer para enfrentá-lo ou contorná-lo.

As pessoas comumente temem a acupuntura pelo medo da agulha?

Em sua maioria, sim, as pessoas que têm medo, frequentemente, são as que nunca fizeram uma única sessão de acupuntura. Elas guardam na memória uma experiência infeliz anterior envolvendo agulhas, normalmente, ocorrida na infância.

Quem dá mais trabalho?

Quase todas crianças dão um trabalhinho maior na primeira sessão. Com estes mais temerosos - adultos ou crianças -, basta uma primeira sessão com bastante conversa e manipulação das agulhas pelo próprio paciente para que se sintam encorajados a experimentarem o método.

E os procedimentos são iguais para todas as pessoas?

Claro que, nesta primeira sessão, os pontos escolhidos são os que, anatomicamente, provocam menos desconforto. Uma outra categoria de pacientes com medo de agulhas se enquadra, por exemplo, nas Síndromes de Ansiedade Fóbica. Esta síndrome tem o medo por base. Nestes, especificamente, os sistemas e órgãos acometidos - pela concepção da Medicina Tradicional Chinesa - são, em geral, rim, coração e baço. Estes sistemas, associados, a uma situação emocional influente ocorrida na infância ou entre pessoas submetidas a estresse, pânico e medo das agulhas, acabam gerando uma situação extremamente angustiante para elas e que, por si só, não justifica o uso das agulhas para conduzir o tratamento.

O que costuma fazer no caso de um adulto ou criança precisar da agulha e ter medo de ser picado?

Durante a consulta, procuro identificar se existem síndromes e se estão associadas ao medo e agitação moderada e/ou extrema. Bem como a pergunta direta se o paciente tem medo de agulhas. Em caso afirmativo, opto por uma outra técnica. A acupuntura, enquanto ciência, tem uma gama enorme de maneiras de se estimular os pontos e conseguir um tratamento eficaz.

De que forma isso é possível?

Em princípio, um ponto de acupuntura pode ser estimulado das mais diferentes formas, com ou sem penetração de agulha na pele: digito pressão ( Shiatsu), laser, amoxabustão (aquecimento), ventosas, sementes, esferas de cristal, ouro ou prata, cristal de silício (Stiper), assim como folhas de metais preciosos (ouro e prata). Esta última técnica, mais comumente usada em casos de artrite - a articulação é coberta com o metal sendo fixando um emplastro por alguns dias ou semanas. Opto por uma destas técnicas.

Existem duas vertentes da acupuntura: a chinesa, que provoca dor, e a japonesa, mais suave e sem dor?

A acupuntura é uma técnica da Medicina Tradicional Chinesa e é verdade, as técnicas originais chinesas são um pouco mais agressivas. As agulhas são estimuladas procurando-se o Ribiki, uma sensação de choque que percorre todo o meridiano. As agulhas de origem chinesa são, comumente, de calibre mais grosso e o desconforto durante a aplicação é, de fato, maior. O povo japonês é mais delicado e poético e sua técnica de inserção e manipulação de agulhas é, sim, mais suave. Como atendo pediatria e idosos, optei pela técnica japonesa, contudo, se necessário, utilizo a chinesa, sempre avisando ao paciente que aquele ponto ou procedimento será "um pouco chatinho". A verdade é que o desconforto não é tão grande mas a sensação de choque assusta, mesmo aos mais corajosos e avisados.

Os benefícios da acupuntura podem surgir mesmo quando as pessoas ficam tensas ?

Na MTC os métodos mais importantes de estímulo da pele são a acupuntura ( Acu=agulha /punto=ponto) e o amoxabustão. Contudo, o estresse é um dos fatores desencadeantes de algumas das síndromes importantes.

Não é indicado usar agulhas em pacientes que chegam ao consultório em agitação moderada/extrema ou muito tensos. No decorrer do tratamento a síndrome é tratada e o paciente pode vir a aceitar a utilização das agulhas. Respeitar o que o paciente me reporta é básico para a eficácia do tratamento.

A acupuntura tem riscos?

A acupuntura com agulhas é um método minimamente invasivo. Há perfuração das camadas superficiais da pele, bem como uma pequena reação inflamatória, necessária para que haja eficácia do método. Existe, sim, a possibilidade de o paciente coçar com a mão não higienizada e provocar uma inflamação. Em pacientes imunosuprimidos opto por utilizar um método diferente que o da estimulação pelas agulhas. Já atendi um paciente que teve reação inflamatória moderada ao estímulo com sementes. Atenção ao estado geral do paciente, uma boa anamnese e cautela no método escolhido são essenciais.

O que dizer sobre a acupuntura sem agulha (indicada para a cura emocional? Como observa o estímulo desses pontos (como no shiatsu)?

Assim como outras ciência, a acupuntura é dinâmica e apresenta sempre novidades e mudanças. Este constante desenvolvimento e renovação de ideias torna este campo amplo de respostas ao tratamento, com soluções cada vez mais eficazes.

Em que momentos a acupuntura com agulha se mostra eficaz?

Segundo a MTC, os fatores que originam as doenças podem ser externos (clima/traumas físicos), fatores internos ou emocionais, e os decorrentes do estilo de vida. A acupuntura atua de maneira eficiente em todos eles. O que acontece é que alguns sintomas (dor, reações alérgicas, estresse, ansiedade, obesidade, síndromes sexuais masculinas e femininas) costumam ceder logo nas primeiras sessões, levando à crença de que a acupuntura é mais ou menos eficaz em um ou outro caso.

Não é eficaz na maioria?

Na verdade, o êxito de qualquer forma de cura baseia-se no domínio teórico/prático do método escolhido, bem como na compaixão (intenção de curar do terapeuta e/ou energia amorosa usada durante o tratamento) e compreensão das necessidades e particularidades do paciente. Seguindo estes princípios, a acupuntura pode desencadear o processo de cura de qualquer patologia, e um processo contínuo de desenvolvimento da pessoa.

As sementes, na auriculoterapia, são também eficientes?

Os pontos utilizados na auriculoterapia são semelhantes aos do corpo e, quando devidamente estimulados, desempenham suas próprias funções, com um diferencial: o estímulo está próximo ao cérebro e é recebido bem mais rápido que o estímulo sistêmico. A resposta, nos casos de dor, alergias, obesidade e estresse, entre outras, é quase imediata.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.