Entrevista com Walter Cortez*

A transição da forma básica à avançada

00:00 · 04.11.2013
Posturas na prancha podem ter algum risco à saúde quando praticadas sem ajuda profissional?

Esse risco existe não somente no sup pilates. Nas práticas tradicionais também se corre riscos de lesão por execução mal feita ou por um nível elevado de esforço sem o devido preparo corporal. Ou seja: o risco é maior quando o praticante tenta fazer algo que ainda não está preparado para fazer.

Existem contraindicações?

Eu diria que para qualquer atividade física é necessária uma avaliação médica e física para que ela seja planejada adequadamente para cada pessoa. Com o sup pilates e o sup yoga não é diferente. Algumas pessoas podem ser contraindicadas para tais práticas, mas isso não por conta da atividade, e sim por questões particulares da pessoa. O melhor seria um início tradicional (pilates e yoga) e só após um período de adaptação os interessados buscariam a versão sup. Funcionaria como uma progressão de treinamento, em que se começa de uma situação básica e evolui para a mais avançada.

A prática do sup pilates tem especificidades em termos de movimentos, de posturas e de alongamentos próprios?

É necessária uma maior atenção nas posturas e forma de execução dos movimentos, pois diante da instabilidade da prancha poderão ocorrer quedas com mais facilidade e, apesar de estar sobre a água, uma queda da prancha pode machucar bastante.

*Professor do curso de Educação Física da Universidade de Fortaleza

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.