Piranhas

Trilha do cangaço e cenários de cinema

A cidade ganhou fama por conta de Lampião e até hoje é usada como locação para produções de TV e cinema

Em Piranhas, o Museu do Sertão exibe peças dos costumes da população ribeirinha, iconografia do cangaço e algumas peças ligadas à Ferrovia Paulo Afonso e navegação a vapor
00:00 · 16.03.2017

A vista que se descortina a partir de construções da cidade é fascinante. Tanto da estação ferroviária, um dos prédios mais expressivos da cidade, um típico exemplar da arquitetura inglesa, quanto do mirante, construído no final do Século XIX, no alto de uma colina (o morro do Senhor do Bonfim), percebe-se a beleza da região. A cidade e o rio, entre formações rochosas, se revelam tão deslumbrantes que parecem assinalar que a mão de Deus passou por ali.

Leia mais

.Piranhas: A história por testemunha

Com a construção da Usina de Xingó, na década de 80, a cidade tomou outro rumo econômico - de entreposto comercial começou a explorar o turismo. A atividade deu novo impulso a Piranhas com a oferta de produtos locais populares (gêneros da cultura material sertaneja, confeccionados em couro, madeira ou ferro e ligados às fazendas e aos ribeirinhos) e a abertura de restaurantes e pousadas. Ciclo que se ampliou com a implementação de passeios pelo grande lago de Xingó e seus exuberantes cânions e pela trilha do cangaço.

No trajeto, as passagens são fascinantes: esculturas naturais tomam formas a partir da vegetação, formada por catingueiras e cactos, combinadas com belas formações rochosas.

Nessa rota, guias contam, principalmente, o ápice da sangrenta morte de Lampião, em Angicos (já em Sergipe). Mas também falam sobre as muitas tentativas do bando invadir e saquear Piranhas. Celso Rodrigues narra que o bando entrou na cidade saqueando e matando. Mas foi contido por seu pai, o comerciante Francisco Rodrigues Pereira, o Chiquinho da Bodega. A maioria dos moradores da cidade fugiu com medo dos cangaceiros.

Nas telas

Com o turismo chegou também a indústria cultural. Primeiro foi o diretor Cacá Diegues com o seu festejado filme "Bye, Bye Brasil". Depois, a cidade foi palco de séries e novelas da Rede Globo. Cineastas exploraram a paisagem e histórias a exemplo de Lírio Ferreira e Paulo Caldas ("O Baile Perfumado"), Hermano Penna ("Aqueles que Virão") e Breno Silveira com "A Costureira e o Cangaceiro". Piranhas tornou-se conhecida pela telinha e pela telona por todo o Brasil.

Mas nada como visitá-la pessoalmente. A cidade, seu centro histórico e passeios, expressa tradições, valores e costumes seculares do Vale do São Francisco com suas histórias de amor e ódio. De coronéis e cangaceiros. De extrema beleza concebida pela natureza. Ou pela mão de Deus.

Saiba mais

O que visitar

Centro Histórico de Piranhas

Rota do Cangaço

Paraíso dos Cânions

Museu do Sertão

Espaço Ecológico Angicos

Onde se hospedar

Pousada O Imperador

Hotel Aconchego do Velho Chico

Pousada O Canto

Pousada Asa Branca

Onde comer

Restaurante Altemar Dutra

Pizzaria Altemar Dutra

Caboclo D'Água

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.