No Espírito Santo

Roteiro temático convida a refazer os “Passos de Anchieta”

Repleta de atrativos turísticos, a caminhada de 100 km pela costa capixaba atrai andarilhos e peregrinos de todo o País

09:00 · 08.06.2018

História, diversão e descobertas em meio à natureza preservada. Tudo isso e muito mais, os turistas que viajam até o Espírito Santo em busca de aventuras encontram em "Os Passos de Anchieta", uma trilha que faz sucesso entre andarilhos e peregrinos. A caminhada se repete quinzenalmente, assim como fazia o padre Anchieta

Na trilha, cada passo revela uma emoção diferente para quem revive o caminho percorrido pelo jesuíta. Além da prática saudável do ecoturismo e do fervor religioso, o passeio oferece experiências que reúnem atrativos como sítios históricos e gastronomia diversificada.

Na primeiro etapa, são percorridos 25 km, de Vitória até a Barra do Jucu, em Vila Velha. O trajeto até Setiba, em Guarapari, tem 28 km. O trecho seguinte é composto por 24 km até Meaípe, ainda em Guarapari. Por fim, há mais 23 km até a cidade histórica de Anchieta, onde fica o santuário Nossa Senhora da Assunção, erguido pelo jesuíta em 1597 com ajuda dos índios tupis. 

A trilha pode ser feita nos dois sentidos. Seguindo a sabedoria indígena, boa parte do trajeto é feito pela praia, nas marés baixas, quando a areia fica solada e facilita a caminhada.

Trajeto histórico

No sentido inverso, o roteiro começa na Aldeia de Reritiba (cidade de Anchieta) e segue até a Vila de Nossa Senhora da Vitória, atual capital capixaba, onde o jesuíta comandava o Colégio de São Tiago, onde hoje funciona o Palácio Anchieta, sede do governo do Espírito Santo e abrigo simbólico do túmulo de Anchieta. 

Registros históricos mostram que padre Anchieta fazia o trajeto de 14 léguas, duas vezes por mês, com o auxílio dos índios temiminós. Ainda no Espírito Santo, além de Reritiba, o religioso também fundou Guarapari e São Mateus.

Paisagens de tirar o fôlego

Ao seguir os "passos" de Anchieta, o turista se depara com as paisagens que inspiravam o padre, considerado o primeiro apóstolo do Brasil. Guias especializados no roteiro enfatizam que o viajante é convidado a uma jornada de reflexões que revela diferentes caminhos: o do coração, para quem tem fé; e o do conhecimento, para os que refazem o trajeto pelo valor histórico e o prazer de ir ao encontro da natureza. Seja qual for o motivo, o resultado ao término da trilha dá a gratificante sensação de vitória. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.