Nos Estados Unidos

Passageiro é condenado a pagar R$ 307 mil por indisciplina a bordo

A confusão, que forçou o pouso de um voo da Hawaiian Airlines, aconteceu em 2016. Em audiência realizada na semana passada, o passageiro James August, de Nova Jersey, foi sentenciado e terá que pagar à companhia

Voo sem escalas da Hawaiian Airlines que ia para Nova York teve que retornar ao Havaí
13:02 · 05.09.2017
James August ao sair da audiência na qual foi condenado ( Reprodução )

Nos Estados Unidos, causar confusão a bordo pode terminar em prisão ou em grande prejuízo financeiro. Foi o caso de James August, um morador de Nova Jersey, que, na semana passada, se declarou culpado por interferir no trabalho de toda a tripulação da Hawaiian Airlines. Em novembro de 2016, seu comportamento agressivo com a própria família e com uma comissária de bordo, forçou um voo sem escalas que ia para Nova York a retornar a Honolulu, no Havaí.

De acordo com a Fox News, o juiz Oki Molloway, responsável pelo caso, condenou o americano a pagar uma multa de US$ 97.817 (cerca de R$ 307 mil) à companhia aérea. 

O dinheiro terá que ser reembolsado à empresa para arcar com os custos de combustível, manutenção, tripulação terrestre e outros gastos associados à mudança do voo. E o valor não inclui os US$ 46.900 (cerca de R$ 147 mil) que a Hawaiian Airlines afirma ter gasto com vale- refeição, entregue a quem aguardava pelo voo atrasado em Nova York.

Bebida e gritos

Durante o julgamento, funcionários relataram detalhes da confusão. Uma comissária contou que o homem teria insultado e ameaçado as crianças que estavam em sua companhia. Quando ela solicitou que ele fosse para outra parte do avião, August (que teria bebido antes do voo) ficou violento. Foi preciso a ajuda de outros passageiros para contê-lo. As autoridades disseram ainda que ele gritou e ameaçou bater na própria namorada. 

Nos Estados Unidos, interferir no trabalho dos membros da tripulação de um voo é punível com até 20 anos de prisão e multas que podem ir até US$ 250 mil (cerca de R$ 786 mil).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.