Pontos turísticos

Em Curitiba, agência de turismo oferece tour da Lava-Jato

Quem se interessa pelo passeio paga de R$ 100 a R$ 386 para conhecer os locais onde atuam os principais integrantes da equipe chefiada pelo juiz Sérgio Moro

17:38 · 08.02.2018 / atualizado às 17:49 por Marlyana Lima - Editora

É comum ver em outros países rotas temáticas que se referem a momentos históricos, tramas de filmes e até locais onde vivem estrelas de Holywood. No Brasil, um roteiro, digamos, inusitado está sendo ofertado em Curitiba, no Paraná. A agência Special Paraná Turismo & Eventos está levando turistas para um passeio pelos locais que têm alguma ligação  com a "Operação Lava-Jato" ou seus membros.

Segundo funcionários da agência, os guias passaram a ouvir a mesma solicitação dos clientes que estavam visitando a cidade: “Podemos ir ao local onde trabalha o juiz Sérgio Moro?”. Foi o suficiente para transformar a curiosidade em um negócio.

De olho na demanda específica e para não interferir na programação de quem só está mesmo interessado em conferir os pontos turísticos tradicionais - como a Ópera de Arame e o Jardim Botânico - a proprietária da agência, Bibiana Antoniacomi, montou um passeio exclusivo para atender aos visitantes que desejam conhecer mais sobre a Lava-Jato e sua equipe de trabalho.

Roteiro passo a passo

A ideia da executiva aposta na curiosidade de turistas que acompanham mais de perto o desenrolar das investigações que apura corrupção em vários setores do poder no País. O tour privativo já está disponível no site da empresa e tem as seguintes atrações. Confira o itinerário:

1ª parada: Procuradoria da República – local da força-tarefa de procuradores que monta os processos

2ª parada: da Procuradoria caminhada para a Praça Santos Andrade, onde é ministrado o curso de direito da Universidade Federal do Paraná, onde o juiz Sergio Moro lecionou e onde o atual relator da Lava-Jato, ministro Edson Fachin, se graduou e lecionou

3ª parada: Justiça Federal – sede da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba é especializada em crimes financeiros e de lavagem de ativos e onde trabalha o juiz Sergio Moro

4ª parada: Polícia Federal – sede da investigação e local de carceragem provisória

5ª parada: Complexo Médico-Penal – local onde os investigados e os julgados no processo ficam presos.

Término do passeio - Pode ser no hotel ou local de preferência no Centro de Curitiba. 

Quem se interessar por arte poderá ainda terminar o passeio no Museu Oscar Niemeyer e conhecer o acervo do museu por conta própria. Entre as obras expostas estão algumas apreendidas durante a Lava-Jato. A exposição "Sob a Guarda do MON" tem 26 obras de um total de 600 que foram recuperadas. Entre as obras expostas estão um quadro do pintor espanhol Miró e um do consagrado artista brasileiro Vik Muniz. 

Para visitar todos esses locais gasta-se até 3h30 a 4 horas. O preço varia de R$ 100 (para grupos de até dez pessoas) a R$ 386 (tour individual), incluindo o material de apoio para ilustração da investigação. 

A empresa responsável pelas visitas explica que por uma questão de segurança, não são liberados os acessos os prédios públicos. O serviço  inclui transporte e guia, que apresentará, em frente aos locais, gráficos e curiosidades pesquisados nas últimas semanas sobre a operação de investigação contra corrupção baseada em Curitiba. Para os muito aficionados há um bônus. A agência anuncia em seu site que dará "dicas onde os procuradores costumam almoçar e lanchar durante a semana", caso o turista queira visitar um destes locais após o passeio.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.