Brics

Brasil e Rússia se unem para promover o Ano do Turismo

Reunião em Moscou sela parceria entre países do Bloco

13:43 · 27.06.2018 por Redação Diário do Nordeste
encontro
O objetivo é estimular o turismo entre as nações do bloco, segundo o Ministério do Turismo ( Roberto Castro/MTur )

Brasil e Rússia unirão forças em 2019 para promover o Ano do Turismo entre os países integrantes do bloco BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). A presidência do grupo e sede dos encontros entre os participantes estará a cargo do Brasil no próximo ano. O acordo foi sugerido durante encontro realizado em Moscou entre o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz, e a vice-ministra de Cultura da Rússia, Alla Manilova. Lummertz está na Rússia, inclusive, justamente para promover o País como destino turístico, aproveitando o movimento da Copa do Mundo de futebol.

“Saímos da reunião com uma proposta conjunta para transformarmos 2019 no ano do turismo nos BRICS. A ideia é fazer com que os países se aproximem por meio do turismo e da conectividade aérea, o que renderá benefícios econômicos. Pelo turismo abrimos as economias e aproximamos os negócios”, afirmou o ministro brasileiro.

Conforme o Ministério do Turismo, a ideia é que "os cinco países do BRICS tragam propostas concretas na reunião que será realizada em 2019, no Brasil. O objetivo é estimular o turismo entre essas nações e, consequentemente, fortalecer as relações entre eles".

Colaboração entre membros

Durante o encontro, a vice-ministra Manilova resgatou uma proposta russa feita há cinco anos voltada para a colaboração entre os membros do BRICS na esfera cultural. Segundo ela, o entendimento entre os países decolou e um memorando assinado gerou ações concretas na área, como coproduções cinematográficas.

Além disso, ela ressaltou que adotar ano do turismo já rendeu frutos no passado. Segundo Manilova, a Rússia promoveu anos temáticos com China e Itália e relatou ter havido um aumento considerável no número de visitas daqueles países à Rússia. Assim como o Brasil fez recentemente com Japão, Austrália, Canada e Estados Unidos, os russos também adotaram o visto eletrônico na Coreia do Sul e tiveram experiências de crescimento.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.