Turismo corporativo

Brasil é líder na realização de reunião de negócios na América do Sul

Estudo da Associação Internacional de Congressos e Convenções mostra que o País é o único sul-americano a fazer parte do ranking internacional

14:10 · 18.05.2018
corporativo
De acordo com o estudo, o turismo de negócios vem crescendo em todo o mundo. Em 2017, foram registrados 12.558 eventos no setor

Assim como no turismo de lazer, o Brasil vem crescendo também em relação às viagens corporativas. É o que prova o estudo da Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA, em inglês). Na lista, o País aparece como o que mais realiza congressos na América do Sul e é o único do continente no ranking dos 20 principais destinos em número de reuniões organizadas em 2017, ocupando a 16ª posição.

De acordo com o relatório, 2017 foi o ano com maior número de eventos catalogados pela entidade. No mundo, foram registradas 12.558 reuniões rotativas de associações internacionais, o que representa 346 a mais que 2016. América do Norte, Europa e Ásia seguem como os principais receptores de congressos e convenções. Estados Unidos lideram o ranking, seguido por Alemanha e Reino Unido.

Sobre o assunto, o o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, destacou: "Somos muito conhecidos como um destino de lazer, mas queremos ser cada vez mais reconhecidos como destino de negócios e para que isso aconteça temos investido fortemente na construção e ampliação de centros de convenções por todo o Brasil”. 

A Associação também identificou uma tendência de 50 anos de crescimento exponencial no número de reuniões de associações. A estimativa dobrou a cada 10 anos, representando o fortalecimento do mercado. 

Segundo levantamento do Ministério do Turismo divulgado nesta sexta-feira (18), 15,6% dos turistas internacionais que estiveram no Brasil em 2017 vieram motivados por negócios, eventos ou convenções. Os principais destinos foram: São Paulo (44,4%), Rio de Janeiro (23,6%), Porto Alegre (4,2%), Curitiba (4,1%), Brasília e Campinas com 3,3% cada.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.