Projeto milionário

Arqueólogos dão aval para construção de grande resort litorâneo na Grécia

O empreendimento contempla um investimento de oito milhões de euros no local do aeroporto desativado de Hellenikon

18:16 · 11.10.2017 por Marlyana Lima - Editora
projeção
Projeção do mega resort que será construído em Atenas, na área do antigo aeroporto de Hellenikon

Conhecida por suas belíssimas ruínas e sítios arqueológicos, a Grécia finalmente conseguiu chegar a um consenso e, com apoio declarado de arqueólogos, vai permitir a construção de um grande projeto turístico em seu território

A medida permitirá que a capital, Atenas, seja sede de um dos maiores resorts litorâneos da Europa. O projeto, aliás, estaria incluído no pacote internacional de ajuda financeira concedido à Grécia, o qual está sendo acompanhado por credores e potenciais investidores.

Na prática, o empreendimento contempla uma megaconstrução orçada em oito milhões de euros e o local escolhido é a área do aeroporto Hellenikon, atualmente desativado. A Lamda, empreiteira grega que tocará a obra, possui desde 2014 um contrato de aluguel de 99 anos pela área de 620 hectares. Os trabalhos, porém, enfrentam atrasos devido à polêmica que se gerou em relação a possíveis riscos tanto ao meio ambiente quanto aos sítios arqueológicos e sua herança cultural.

Fim da polêmica

Para dirimir as dúvidas, o Conselho Arqueológico Central, instituição responsável pela permissão de uso do espaço, recomendou que cerca de 30 hectares do terreno sejam declarados um sítio arqueológico. Em declaração à agência de notícias Reuters, o vice-ministro da Economia para investimentos, Stergios Pitsiorlas, declarou que “o fato de uma área pequena ser declarada de interesse arqueológico blinda o processo todo de futuros litígios”. Ele ainda reiterou que, graças à recomendação, os arqueólogos terão uma supervisão mais atenta do trabalho de construção.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.