DESTINO EM ALTA

Nova Zelândia bate recorde de visitantes

Apesar da distância, pelo menos 3,5 milhões de turistas de todo o mundo foram ao país em 2016

00:00 · 16.02.2017
Auckland é a maior cidade da Nova Zelândia e reúne as principais empresas do país. Bares e restaurantes movimentam a vida noturna ( Foto: Chris-McLennan )

A Nova Zelândia começa o ano quebrando recordes! Em 2016, 3,5 milhões de turistas de todo o mundo estiveram por lá, o que representa a maior marca já atingida pelo destino da Oceania e um aumento de 12% em relação a 2015. Lugares como Doubtful Sound, Bay of Plenty e Auckland são pontos turísticos que fazem parte da nova campanha global do destino.

Apenas no último mês de dezembro, 494.200 pessoas entraram no país, outro recorde que representa um acréscimo de 11% na comparação com 2015. O mês de dezembro também teve ótimos resultados do mercado brasileiro, com um número total de 1.968 turistas chegando ao país, 16% a mais que no ano anterior.

Vale lembrar que para voar do Brasil a Nova Zelândia não é preciso cruzar o mundo: a Air New Zealand tem voos diretos saindo de Buenos Aires e a Latam voa a partir de Santigo - as duas rotas têm duração de 13 horas, apenas 1 hora a mais do que voar de São Paulo a Los Angeles, na Califórnia.

Image-2-Artigo-2202219-1

Também conhecido como o local onde se aprecia o "Som do Silêncio", Doubtful Sound é o mais profundo fiorde no Sul do país. Foto: Rob-Suisted 

Campanha inédita

Para comemorar os bons resultados, o setor de turismo da Nova Zelândia acaba de lançar uma nova campanha global em parceria com a marca de equipamentos fotográficos Nikon. A ideia é promover experiências de viagem em três vídeos de 360 graus, que podem ser acessados no www.newzealand.com/pure360.

Essa é a primeira vez que algumas das melhores experiências da Nova Zelândia foram capturadas em 360 graus - o conteúdo imersivo tem o objetivo de transportar os espectadores para uma mundo de paisagens cinematográficas com montanhas e florestas tropicais em vídeos em Auckland, Doubtful Sound e Bay of Plenty. A meta é convidar futuros visitantes a descobrir um pouco mais sobre cada uma das regiões turísticas.

Começamos por Auckland. A maior cidade e o principal centro financeiro e econômico da Nova Zelândia tem tudo o que uma metrópole pode oferecer, mas com incríveis paisagens naturais. Os moradores locais encontram-se nos bares e restaurantes descolados de Ponsonby, ou até mesmo na surpreendente ilha de Waiheke, repleta de vinhedos e cenários deslumbrantes.

Outro ponto do país que merece a visita é Doubtful Sound, às vezes denominado de "O Som do Silêncio". Trata-se do mais profundo, com cerca de 421 metros, e o segundo mais longo (40 km) dos fiordes da Ilha Sul. É um lugar poderoso, sereno, misterioso e intocado pelo mundo.

Para quem gosta de aventuras radicais, Bay of Plenty é o lugar perfeito para explorar as belezas naturais, como maravilhas geotérmicas, muito surfe e cavernas com vaga-lumes.

Estudo e turismo

Mas nem só de turismo vive a Nova Zelândia. O país também está focado em atrair estudantes de outros países. Tendo na educação a sua quarta maior fonte de receita (cerca de R$ 14 bilhões), o governo neozelandês também quer promover no Brasil, pela primeira vez, uma feira especializada e dirigida a alunos que buscam informações sobre o ensino internacional.

A Education New Zealand, agência responsável pela promoção da educação internacional, organizará o encontro no dia 8 de abril, no Hotel Intercontinental, em São Paulo.

"Sem custo algum, o interessado vai poder conversar diretamente com representantes das instituições de ensino da Nova Zelândia e com brasileiros que já estudaram no país", avisa Ana Azevedo, da Education New Zealand.

Mais informações:

Fone: (11) 3253-3227

www.studyinnewzealand.govt.nz

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.