na Capital

Nova era do turismo

Com a inauguração do hub da Air France - KLM- Gol, a Capital cearense ganha nova dimensão como destino turístico

Com o hub e novos voos, a Capital cearense estará ligada aos principais destinos internacionais ( Foto: Jade Queiroz /MTur )
00:00 · 03.05.2018 / atualizado às 13:56 por Marlyana Lima - Editora
Com projetos de requalificação e implantação de novos equipamentos turísticos, Fortaleza se prepara para receber os visitantes que chegam em busca de praia, clima tropical e oportunidades de lazer
Paris e Amsterdã são os destinos que passam a ter conexão direta com Fortaleza, através das companhias Joon e KLM, respectivamente. Os voos inaugurais para França e Holanda têm início nesta quinta-feira

Fortaleza nunca esteve tão conectada ao resto do mundo. Com localização estratégica para reduzir em até cinco horas o tempo de voo rumo aos principais destinos turísticos internacionais, a cidade assiste, nesta quinta-feira, 3, ao início das operações do hub da Air France/KLM-Gol, no Aeroporto Internacional Pinto Martins. Um marco que pode redesenhar o futuro do turismo no Estado.

A partir de agora, o Ceará passa a ser o principal ponto de partida para os brasileiros que moram nas regiões Norte e Nordeste e se destinam ao exterior. Também assume o papel de porta de entrada para os estrangeiros que chegam em busca das belezas naturais, do clima tropical e atrações diversificadas de cultura e lazer.

Leia ainda: 

> 'Fortaleza tem potencial igual ao do Panamá antes  de hub aéreo'
> Joon e KLM: conheça as aéreas que vão operar na Capital 
 
Os reflexos da maior oferta de voos domésticos já começam a ser sentidos. Serão 40 novos somente da Gol Linhas Aéreas, além dos voos internacionais que deixam o Ceará diretamente ligado a 10 países: Argentina, Colômbia, Panamá, Estados Unidos, Holanda, França, Portugal, Alemanha, Cabo Verde e Guiana Francesa.

Com o cenário favorável e mirando em novos destinos, a Secretaria de Turismo do Estado (Setur) planeja estratégias para aumentar o fluxo de turistas no Ceará. Argentina, China, Itália e Inglaterra são países que entraram de vez no radar e podem reforçar as boas estatísticas do setor que cresceu 61,9%, nos últimos 12 anos.

Olho no futuro

Dados da Setur apontam que o volume de turistas no Ceará passou de 2,1 milhões de pessoas em 2006 para 3,4 milhões em 2017. Já a movimentação no Aeroporto (agora sob comando da Fraport) quase dobrou no período, partindo de 3 milhões de embarques e desembarques em 2006 para 5,9 milhões no ano passado.

Para que os visitantes sintam-se incentivados a ficar mais tempo, mesmo quando estiverem de viagem rumo a outros destinos, a Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor) vem trabalhando para inaugurar, em breve, novos equipamentos, a exemplo da Roda Gigante na Beira-Mar, a requalificação da Praia de Iracema e o Double Deck (ônibus turístico de dois andares).

"É nossa intenção termos projetos de Stopover junto com as companhias aéreas que estão investindo no Ceará. É interesse do trade e será motivador também para quem viaja", observa o titular da Setfor, Régis Medeiros.

Eliseu Barros, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE) e diretor do Marina Park Hotel, informa que Fortaleza conta, atualmente com 28 mil leitos, número suficiente para atender à demanda em um cenário promissor. "Estamos esperando mais turistas tanto do Brasil quanto de fora. A expectativa é que nossa taxa média de ocupação que, em um feriado como o de 1º de maio, gira em torno de 50%, se eleve com a maior movimentação de passageiros", observa.

Novos ganhos

Otimista em relação ao crescimento do setor, Manoel Linhares, presidente nacional da ABIH comemora a implantação do hub e aposta nos efeitos da divulgação que vem sendo feita pelo governo cearense junto aos mercados emissores.

"Hoje o Ceará investe em torno de R$ 30 milhões em divulgação dos seus destinos, quase o mesmo orçamento da Embratur. Com o trabalho de captação que vem sendo realizado, vamos 'puxar' turistas no Norte, Nordeste e Brasília para fazer a conexão em Fortaleza. O impacto disso será visto na forma de mais emprego e renda", comenta Linhares. Ele lembra que 52 segmentos da economia são diretamente impactados pelo turismo.

Para ele, além de mais visitantes, o Ceará tem tudo para atrair novos investimentos de importantes redes hoteleiras, a exemplo do Hard Rock Hotel, na praia da Lagoinha, e do Taíba Exclusive Resort, na Taíba, com previsão para inauguração entre 2019 e 2020.

"Esse é um momento ímpar. O turismo de negócios também deve ganhar força no Ceará. Para isso, temos o maior e mais bem equipado centro de eventos da América Latina", pondera. Quanto ao turismo de lazer, Linhares acredita que as passagens se tornarão ainda mais acessíveis a partir da abertura do capital de companhias aéreas nacionais e a entrada de empresas estrangeiras no Brasil.

"A concorrência, junto a uma maior demanda, vai estimular a queda de preços e, quando isso acontecer, o Ceará já estará um passo à frente porque terá estrutura aeroportuária e um hub de extrema importância", completa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.