SANDBOARD

Lazer e conquistas nas dunas

04:19 · 01.12.2011
( )
A mansidão de dunas ao longo de toda a costa cearense explica o rápido crescimento do sandboard no Estado
A mansidão de dunas ao longo de toda a costa cearense explica o rápido crescimento do sandboard no Estado ( FOTO: DIVULGAÇÃO )
( )
O esporte surgiu em Santa Catarina e popularizou-se no Ceará, que passou a sediar competições

A necessidade é a mãe de todas as invenções. O dito popular também se aplica ao esporte. O Sandboard nasceu por volta de 1986, em Florianópolis, Santa Catarina, e consiste em descer dunas, com a utilização de uma prancha similar à de snowboard usada na neve.

A ideia surgiu da mente de surfistas catarinenses como uma alternativa para divertir-se no dias em que o mar não estava bom para a prática do surfe. Mas, há quem diga que tudo começou porque um instrutor norte-americano de snowboard que estava passando férias em Floripa teria emprestado sua prancha a um grupo de surfistas para que eles experimentassem surfar na areia.

Discussões à parte, a brincadeira ganhou corpo e rapidamente espalhou-se Brasil afora, conquistando adeptos, especialmente em lugares como vastidões de areia de tamanhos diversos à beira-mar. Fica fácil entender por que o esporte firmou-se no Ceará. As grandes dunas ao longo do litoral compõem o cenário perfeito para o deleite dos amantes do sandboard. A adrenalina sobe enquanto o praticante desce a duna em manobras radicais.

O sandboard aportou no Estado no início da década de 90, trazido por turistas catarinenses que queriam surfar nas dunas cearenses. Nativos como Tiago Mancha e Lima Júnior trataram de massificar o esporte junto aos verdes mares. Como resultado, o Ceará é hoje um dos Estados mais procurados do Brasil pelos turistas que curtem o sandboard. Eles chegam o ano inteiro só pelo prazer do surfe nas areias ou para competições de nível estadual, nacional e até internacional.

Os points do sandboard no Ceará são muitos. Difícil é escolher o melhor. Pode ser Cumbuco, Jericoacoara, Paracuru, Sabiaguaba, Morro Branco, Camocim, Iguape... São praias que oferecem dunas ideais para a prática do esporte. Campeonatos "rolam" ao longo de todo o ano e atraem um grande público, que curte as muitas categorias do esporte. Pode ser Big Air (modalidade de manobras), Boarder Cross, Slalom e Slope Style (modalidades de velocidade). Para quem não está nem aí para competição e quer apenas curtir um pouco, basta deslizar dunas abaixo.

Os turistas menos ousados usam a prancha para descer as dunas deitados ou sentados. Em alguns casos, o praticante cai diretamente na água de uma lagoa, dependendo do lugar escolhido, o que lhe dá ainda mais prazer de ter optado pelo Ceará para a diversão radical.

O Ceará tem apresentado grandes atletas de sandboard. Prova disso é que o atual campeão brasileiro é o cearense Esdras Tikinho. Conterrâneos e admiradores seguem o exemplo e avançam nas areias para descidas radicais.

Mas, para quem está começando a praticar o esporte, nada melhor do que aprender com especialistas. No Ceará, há escolas exclusivas para ensinar sandboard. Por outro lado, a maior parte dos points do esporte contam com barracas que alugam pranchas por hora.

"É importante não esquecer outros equipamentos para praticar o esporte", alerta Lima Júnior, dirigente da Federação Cearense de Sandboard, destacando como fundamental o uso de capacete, capa para a prancha, botas de sandboard, protetor solar e uma toalha para tirar a areia da prancha e do corpo "porque o tombo é certo e faz parte do esporte".

Um detalhe importante para o esporte e ressaltado pela federação é de que os praticantes, sejam nativos ou turistas, precisam preservar as dunas, evitando deixar lixo jogado nos locais de prática do sandboard.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.