Santa Catarina

Joinville celebra tradições germânicas

A maior cidade de Santa Catarina tem atrações que vão do turismo rural a festas temáticas. Tudo isso em meio a uma atmosfera europeia

Moinho e Pórtico na entrada de Joinville. Os dois monumentos são símbolos da cidade ( Fotos: Turismo Joinville )
00:00 · 05.10.2017 por Marlyana Lima - Editora
Antiga residência do primeiro prefeito da cidade, o prédio que abriga o Museu de Arte de Joinville é tombado pelo patrimônio histórico. Inaugurado em 1976, seu acervo fixo possui 700 obras, incluindo uma peça de Lygia Clark
O Holz Hotel chama atenção por sua arquitetura europeia. Já o Monumento à Barca conta, aos habitantes e turistas que visitam a região, um pouco da colonização iniciada em 1851. No município também se encontra a Escola de Ballet Bolshoi

Visitar Joinville é mais do que uma viagem. Está mais para uma experiência multisensorial envolvendo o sabor das comidas típicas da Europa, o aroma das flores cultivadas por todo o município e a sensação de retorno ao passado durante os passeios que descortinam construções com a bela arquitetura germânica. A excelente estrutura hoteleira e as diferentes atrações turísticas reforçam o sucesso do destino, cada vez mais em alta no Sul do País.

Colonizada por alemães, suíços e noruegueses, Joinville é a maior cidade de Santa Catarina, superando inclusive Florianópolis. Está estrategicamente localizada perto do mar, na Baía da Babitonga, e das montanhas. Além disso, fica a apenas 130km de Curitiba (PR) e a 176km da capital catarinense, o que permite ao turista ampliar os horizontes da viagem.

Atrações por toda parte

O roteiro de diversão começa na porta de entrada da cidade. O Pórtico de Joinville é um dos principais cartões-postais da região e, na maior parte do ano, tem seu jardim coberto de flores. Construído no estilo enxaimel, influenciado pelas culturas alemã e holandesa, o monumento é de 1979 e abriga o escritório da Secretaria de Turismo.

Bem ao lado do pórtico, os olhares são naturalmente atraídos pelo Grande Moinho, onde funciona uma das unidades da Cervejaria Opa Bier. Com mesinhas ao ar livre, o espaço é perfeito para se apreciar a bebida mais famosa da região.

De tirar o fôlego, o Mirante de Joinville é outro ponto que merece a visita. O local proporciona uma das vistas mais belas, e em todos os ângulos, da cidade pontuada pelo verde e o colorido das flores, uma marca registrada do Estado.

Do Mirante, localizado praticamente no centro, é possível avistar até mesmo um pedacinho do mar. Mas é bom estar preparado para a caminhada porque carros particulares não são permitidos na área. Quem quiser pode ir pedalando, mas a maioria segue mesmo é de ônibus ou táxi para evitar o cansaço e aproveitar calmamente a vista privilegiada.

Chegando em Joinville, não esqueça de preparar a máquina fotográfica ou o smartphone para registrar boas imagens e selfies. Cenários cinematográficos não faltam para isso.

Dois deles chamam atenção pela preservação da arquitetura enxaimel (que usa ripas de madeira para compor as construções), uma herança principalmente dos alemães. Para conferir, visite o Mercado Público Municipal e a Estação da Memória, a antiga estação ferroviária construída em 1906.

Encantos culturais

Para caminhar, o melhor lugar é a Rua das Palmeiras, cercada por diversas "colunas de árvores", cujas mudas foram levadas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Além disso, o calçadão conduz ao Museu Nacional de Imigração e Colonização (MNIC), instalado em um prédio do século XIX e tombado pelo IPHAN.

No museu, estão documentos e objetos que contam a história da imigração no Sul do Brasil. Ali, é possível compreender porque Joinville ganhou o título de "Cidade dos Príncipes".

Já o Museu de Arte da cidade se destaca não apenas pelas obras de arte que abriga, mas também por estar ambientado em um belo casarão às margens de um lago. Mais bucólico, impossível! Aliás, o gramado que circunda o equipamento também recebe visitantes interessados em fazer piqueniques em meio à natureza exuberante do lugar. Se o dia for de sol, vale experimentar.

A cidade também é conhecida como a "Capital da Dança" por sediar um dos maiores eventos culturais da área, o Festival de Dança de Joinville, em julho. Para quem aprecia a arte, vale visitar a Escola do Teatro Bolshoi, a única do gênero fora da Rússia.

Náutico e rural

Para quem prefere um pouco mais de aventura, a dica é agendar um passeio no Barco Príncipe, que navega pela Baía da Babitonga até a cidade histórica de São Francisco do Sul, no litoral catarinense.

Adentrando a área rural, também há muito o que aproveitar. Visitar a propriedade Ango Kersten é uma boa pedida para quem deseja uma imersão na vida do campo, com direito a passeio de trator e travessia do rio Pirapeiraba, onde ao longo do percurso se avistam canaviais, pastos e animais exóticos. No fim do passeio, entregue-se à degustação das comidas tipicamente alemãs e não deixe de experimentar o famoso café colonial, um patrimônio dos mais valiosos.

Saiba mais

O que visitar

• Mirante de Joinville
• Mercado Público de Joinville
• Rua das Palmeiras
• Museu Nacional de Imigração e Colonização
• Museu de Arte de Joinville
• Instituto Internacional Juarez Machado
• Passeio de barco - tour São Francisco do Sul
• Complexo Expoville
• Estrada Bonita
• Museu Rural Ango Kersten
• Escola do Teatro Bolshoi
• Cervejaria Opa Bier
• Café colonial no Hotel Holz
• Zoobotânico
• Museu Arqueológico de Sambaqui
• Estação da Memória

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.