Empreendedorismo

Criatividade para gerar riqueza

Encontros vão mostrar como esta abordagem pode auxiliar no desenvolvimento dos municípios cearenses

00:00 · 24.09.2015
Image-1-Artigo-1934700-1
Diversidade das cidades do Ceará torna o ambiente fértil para o desenvolvimento de atividades ligadas à economia criativa
Image-0-Artigo-1934700-1
O primeiro evento será realizado hoje, a partir das 9 horas, no município de Aracati. No dia 25, será a vez da cidade de Limoeiro do Norte ( FOTO: Kléber A. Gonçalves )
d
Clique na imagem para ampliar

O Sebrae irá iniciar um diagnóstico das principais atividades da economia criativa desenvolvida em cada uma das regiões cearenses

O Ceará possui uma grande diversidade cultural e, por isso, muitas de nossas cidades são ambientes férteis para o desenvolvimento de atividades ligadas à economia criativa, onde as ideias são os principais insumos para a geração de valor. Buscando promover o entendimento do que são cidades criativas e de como esta abordagem pode contribuir para o desenvolvimento cultural, social e econômico de cada um destes locais, o Sebrae Ceará promove, a partir de hoje, uma série de seminários em municípios polos.

Os Seminários Cidades Criativas abordarão o tema economia criativa, cidades criativas, polos criativos e a lógica do empreendedorismo nas cidades movidas pela criatividade. O primeiro evento será realizado hoje, a partir das 9 horas, na Secretaria de Turismo e Cultura de Aracati, Rua Dragão do Mar, 260 - Aracati. Já no dia 25, é a vez da cidade de Limoeiro do Norte receber o seminário, que acontece na sede do Sebrae, na Rua Cel. Antônio Joaquim, 1535 - Limoeiro do Norte/CE.

De acordo com o superintendente do Sebrae, Joaquim Cartaxo, um dos objetivos dos seminários Cidades Criativas é ajudar a criar um ambiente favorável à concretização do potencial dos talentos criativos destes polos, revelando oportunidades de inovação social, urbana e econômica ainda inexploradas. Para que isso aconteça, segundo Cartaxo, os seminários irão capacitar os representantes de universidades, ONGs, produtoras culturais, gestores públicos e empreendedores, contribuindo para um entendimento mais complexo dos desafios e potencialidades das cidades cearenses nas atividades econômicas da economia criativa.

Oportunidade

"O desenvolvimento deste ambiente criativo e a conversão da criatividade em oportunidades de negócios requerem uma ação articulada entre agentes públicos e privados. Com estes seminários, queremos ajudar estes agentes locais a compreender todo este processo e reforçar a ideia de criação de redes para o amadurecimento dos ecossistemas criativos e empreendedores do Ceará", afirma Joaquim Cartaxo.

Já o gestor do projeto de economia criativa do Sebrae Ceará, Glauber Uchoa, destaca que estes eventos também irão contribuir no processo de valorização das cidades e das pessoas que nelas residem.

"Um dos objetivos dos seminários é estimular esta visão de que a cidade criativa se nutre do empreendedorismo individual e, de modo mais amplo, da inteligência cidadã coletiva", enfatiza Uchoa.

Programação

Os seminários Cidades Criativas serão comandados pelos especialistas em economia criativa e cidades criativas Ana Carla Fonseca e Alejandro Castañé. Os dois atuam como consultores de projetos nacionais e internacionais na área, como na elaboração do relatório global Creative Economy Report 2008 e 2013, editado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A programação do evento será dividida em dois momentos. Primeiro, será realizada uma palestra abordando os conceitos de economia criativa, cidades criativas, polos criativos e a lógica do empreendedorismo nas cidades movidas pela criatividade. Em seguida, será realizada uma atividade interativa onde os participantes serão incentivados a compartilhar experiências e práticas criativas com os presentes.

Diagnóstico

Além do seminário, segundo Glauber, o Sebrae irá iniciar um diagnóstico das principais atividades da economia criativa desenvolvida em cada uma das regiões cearenses. "Estas informações nos ajudarão a prever que ações vamos poder desenvolver junto aos empreendedores de cada região do Estado", explica o gestor do projeto de economia criativa do Sebrae Ceará.

Saiba mais

O Seminário é gratuito, mas não aberto ao público

Quem pode participar representantes de universidades, ONGs, produtoras culturais, secretarias de cultura, turismo e desenvolvimento econômico, agentes culturais, gestores públicos das Secretarias de Desenvolvimento, Cultura e do Turismo, diretores de associações, ligas empreendedoras, representantes de empresas juniores e incubadoras, pesquisadores, acadêmicos vinculados ao tema, urbanistas e historiadores urbanos do tema e empreendedores que possuem negócios com diferenciais e com singularidades locais.

Como se inscrever

A confirmação de participação deve ser feita junto ao escritório do Sebrae da região em que será realizado o evento.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.