Novo destino

Chile para todos os gostos

03:10 · 21.12.2007

O Chile desponta como uma nova atração para os brasileiros e se revela em suas variadas facetas para atrair os visitantes. Os atrativos são incluídos em diferentes pacotes, que contemplam emoção na neve, passeios culturais em Santiago, aventura no Deserto de Atacama e curiosidades na encantadora Ilha de Páscoa


As emoções começam ainda nas alturas, quando a paisagem mostra a exuberância do Deserto de Atacama e da Cordilheira dos Andes. Um capricho da natureza que substitui o sol e mar que tanto fascinam no Nordeste brasileiro. A cada avanço da aeronave surge uma nova paisagem com rastros deixados pela neve que se apresenta especialmente no inverno (de junho a setembro).

Santiago é a porta de entrada para muitos passeios na cidade ou nos arredores - Valparaíso e Viña del Mar, a 120 quilômetros de distância. Um roteiro mais ampliado pode incluir passeios aos vales vinícolas, onde são produzidos saborosos vinhos. De Fortaleza, são ofertadas excursões pela operadora Be Happy, em parceria com a TAM e receptivo no Chile a cargo da CTS Turismo.

Em Santiago, o turista tem o primeiro contato com a cidade num tour que inclui a troca da guarda em dias alternados, no Palácio de La Moenda. É um momento cívico especial, que reúne chilenos e visitantes numa solenidade aberta ao público. Santiago fascina pelas largas avenidas, ruas limpas, praças ajardinadas e povo acolhedor. A infra-estrutura supera desafios: um túnel de cinco quilômetros abre caminhos sob o rio Mapocho, que corta a cidade. Abaixo do túnel está a linha do metrô. Há outros desafios em Santiago, como os estacionamentos subterrâneos para três mil veículos na Avenida da Providência.

A cidade é administrada por 34 prefeituras, uma divisão de bairros que se administram de forma positiva. Santiago foi fundada no Morro de Santa Lúcia, em 1541 e tem seis milhões de habitantes. A cidade é moderna e atraente e tem um elevado crescimento vertical. Está em construção o Costanera Center, formado por um hotel e um shopping com 72 andares.

Recursos naturais

O Chile tem uma economia sólida e fortalecida por recursos naturais. O cobre vem em primeiro lugar, seguido de papel e madeira, em segundo. A agricultura, que tem como ponto alto a fruticultura, fica em terceiro lugar, seguida pela pesca, em quarto. O turismo está crescendo, mas ainda é a quinta atividade econômica do Chile. A população do país é de 16 milhões de habitantes de várias nacionalidades com 70% de católicos, tendo como padroeira Nossa Senhora do Carmo.

O tour em Santiago inclui uma visita à Catedral Metropolitana, concluída em 1754, após 22 anos de construção. Em estilo barroco e com luxuosos altares, a catedral é usada para cerimônias oficiais do governo e celebra, no dia 18 de setembro, a independência nacional com todas as religiões presentes. Sua localização é na Praça das Armas, que tem como atrativo uma escultura de Pedro Valdívia, o fundador do Chile montado num cavalo.

O país é governado por uma mulher - Michelle Bachelet -, que está conquistando popularidade com a implantação de programas sociais. Segundo o guia de turismo da CTS, Jorge Fuentes, a pobreza diminuiu 12,6%. Os acampamentos (favelas) estão sendo eliminados com facilidades para a compra da casa própria. Jorge fala com entusiasmo do trabalho feito com os vendedores de rua e mostra a senhora Mirta, que hoje tem um ponto de venda (postais, jornais, revistas e cartões) numa rua central.

Para conhecer melhor a cidade é indispensável uma visita ao Mercado Central (construção de ferro vinda da Inglaterra). O restaurante Donde Augusto ocupa a maior parte do mercado e oferece variados pratos em frutos do mar. Barracas de frutas mostram a variedade da produção chilena.

Santiago tem bons hotéis de bandeiras internacionais e uma variedade de restaurantes que valorizam a gastronomia local com pratos de peixes e frutos do mar. O vinho está presente em todas as ocasiões, fortalecendo a economia local. Como drinque popular, a pedida é o Pisco Souer (cachaça de uva, clara de ovo, açúcar e gelo). A noite chilena conta com animados shows inspirados na Polinésia e em outras regiões chilenas. Os amantes da noite freqüentam o bairro boêmio de Bellavista, com bares tradicionais que guardam lembranças do escritor Pablo Neruda.

A diretora da Be Happy, Cely Sena, disse que começou a vender o Chile no ano 2000, sempre com o receptivo da CTS, que tem o seguinte lema: ´O turista que vai embora feliz é o amigo que volta´. Assim, as viagens, que começaram com a Varig, hoje são feitas pela TAM, registrando o crescimento do destino e movimentando as vendas nas agências de viagens. Cely disse que são muitas as opções - lazer, aventura, descanso, incentivo e neve -, com vendas garantidas o ano todo.

Cores e sabores dos vinhos chilenos


As vinícolas da Rota do Vinho Colchagua, que produzem deliciosos vinhos, abrem espaço para o turismo com atrativos para receber os visitantes. São 60 vinícolas na região, 20 delas abertas aos visitantes. A visita inclui degustação e informações sobre produção, cuidados com o vinho e como saborear a bebida corretamente, desfrutando de seus aromas e sabores. Recepcionistas orientam como balançar a taça antes do primeiro gole.

A região fica a 180 quilômetros de Santiago e deve ser percorrida com tempo para melhor aproveitamento do ambiente campestre do Chile - cavalgadas, descanso e visita a um museu da região.

Aos sábados, a região conta com o Trem do Vinho, locomotiva que faz um percurso de 90 minutos entre San Fernando e Santa Cruz. Durante o tour, o visitante bebe vinho e aprecia a região num ambiente temático de muita beleza.

Em recente viagem ao Chile, a operadora Be Happy e a CTS Turismo mostraram a Vinícola Santa Cruz, a cidade de Santa Cruz e o hotel do mesmo nome aos agentes de viagens convidados. A vinícola produz vinhos da mais alta qualidade e tem uma estrutura completa para visitantes, com réplica de aldeia indígena no alto com acesso através de teleférico.

A área é de 900 hectares, com 170 hectares ocupados por parreiras irrigadas. O calor do dia e o frio da noite fazem uma combinação perfeita para a produção da uva. O complexo foi instalado em 2003 e aberto ao turismo em 2006. A recepcionista Mabel recebe os grupos e fala português. O proprietário é Carlos Cardoen, de família tradicional de Santa Cruz, que resolveu investir em marketing para divulgar a região do vale. Ele comanda a vinícola, o Museu Colchagua e o Hotel Santa Cruz, ideal para descanso, férias e lua-de-mel. Uma obra de arte em Santa Cruz, cidade campestre que está nascendo para o turismo com enfoque na vinicultura. O hotel preserva detalhes que recordam uma parte da história do país na arquitetura e na decoração. O Museu de Colchagua tem peças das principais culturas pré-colombianas.

Edgony Bezerra
Editora de Turismo

A jornalista viajou ao Chile a convite da Be Happy e da TAM

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.